Entrevista: Coronel PM Marlon Teza – Obrigatoriedade do exame toxicológico vai reduzir acidentes nas estradas

Postado dia 17/9/2014 | Tags:, , , , , , , | 0 comentário

O exame toxicológico de larga janela de detecção, popularmente conhecido como “teste de cabelo”, será exigido dos motoristas profissionais no ano que vem na hora da renovação da CNH ou mudança de categoria. Para entender melhor os resultados que esse tipo de controle pode produzir o Estradas.com.br está iniciando uma série de entrevistas com quem já utiliza os exames de larga janela . Nosso primeiro contato foi com a FENEME- Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais, já que as polícias militares estão entre as pioneiras no uso do “teste de cabelo”. Entrevistamos o Presidente da entidade, Coronel PM Marlon Jorge Teza. Ele respondeu algumas perguntas via e-mail que podem servir de orientação para a sociedade dos possíveis benefícios da aplicação destes exames para motoristas profissionais:

Coronel-PM-Marlon-Teza

1) Como os senhores estão utilizando o exame toxicológico de larga janela, o chamado teste de cabelo?

Os exames toxicológicos são utilizados para candidatos ao ingresso tanto na Polícia Militar quanto no Corpo de Bombeiro Militar, sendo exigência face a legislação em vigor.

2)   Quais os resultados que estão obtendo?

Os resultados são significativos, pois exclui o candidato que utilizou drogas alguns meses antes do exame, fazendo com que o usuário de drogas ilícitas não tenha ingresso nas fileiras da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar. Isso reduziu quase a zero os problemas relacionados a tratamento ou até mesmo a exclusão do militar da instituição com esse tipo de envolvimento incompatível com a atividade.

3) Os senhores consideram esses exames confiáveis?

Plenamente confiável até porque não houve até o momento qualquer contestação por parte dos candidatos que se submeteram ao mesmo.

4) Quais as dificuldades que as polícias militares encontram na aplicação desses exames?

Até o momento não foi constatado dificuldade na aplicação do mesmo, pois o candidato de posse do edital e após ser aprovado nos exames intelectuais procura um dos laboratórios credenciados e realiza o exame que posteriormente é apresentado por ocasião da inspeção de saúde.

5)  Qual sua avaliação do uso desses exames no controle do uso de drogas por motoristas profissionais?

Esse tipo de exame é fundamental aos motoristas profissionais na medida que o impedirá de obter a CNH se por acaso for usuário frequente de droga ilícita no seu trabalho. O resultado, sem dúvida, é a diminuição nos acidentes de trânsito de qualquer natureza, de modo especial na rodovias.

6) Como policial experiente,  o senhor acredita que o uso de drogas por tantos motoristas circulando pelo território nacional, pode estar contribuindo para a distribuição da droga em todo país?

Sem dúvida sim, pois a droga ilícita por si só atraí o traficante que deseja ganhar dinheiro fácil, e esse “mercado” é um indutor da referida distribuição ao motorista profissional por todo o território nacional.

7)  De que maneira os exames toxicológicos podem ajudar a evitar isso?

Como ocorreu na Polícia Militar a simples exigência da submissão do exame toxicológico é um inibidor, evitando que o motorista profissional seja usuário frequente de drogas ilícitas, pois isso impedirá o pretendente à habilitação a possuí-la se usar drogas ilícitas. 


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *