Solicitada pela primeira vez no primeiro semestre de 1982, pelo então deputado estadual Benedito Santiago, a implantação e pavimentação da BR-174 desde Castanheira até Colniza, passando por Juruena, deve se tornar realidade até dezembro deste ano.

A projeção partiu do governador Silval Barbosa (PMDB), ao lado do ministro César Borges, dos Transportes, parlamentares e secretários de Estado, ao assinar o convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), no início da tarde de ONTEM, terça-feira (23/04), no Salão Nobre Clóves Vettorato, no Palácio Paiaguás.

No mesmo ato, foi assinado o convênio da segunda etapa da Rodovia BR–158, no Vale do Araguaia, no trecho de Ribeirão Cascalheira até Barra do Garças.

Silval pediu e Borges prometeu atender: a pavimentação da BR 242 de Sorriso até Querência, o Rodoanel de Barra do Garças e a BR-174 de Juina até Vilhena, além da pavimentação de 71 quilômetros de Cáceres até o Porto de Morrinhos, em Santo Antônio das Lendas, viabilizando o escoamento de grãos pela Hidrovia Paraguai-Paraná, na bacia do Prata.

“Mato Grosso é um Estado com produção agropecuária monumental e problemas gigantescos. Então, os nosso pedidos sempre tem dimensões continentais”, justifica Silval, se dirigindo o titular do Ministério dos Transportes.

Pouco antes, na Câmara Municipal de Rondonópolis, Silval e César Borges tinham visitado a Rodovia dos Imigrantes, que margeia a Capital e Várzea Grande, e, ainda, as obras de travessia urbana de Cuiabá.

Nas primeiras horas da manhã, Borges e Silval assinaram a ordem de serviço para a duplicação da BR-163/364 no trecho de 61 quilômetros, entre Rondonópolis e Jaciara, o que deve facilitar sobejamente o escoamento da produção agrícola de Mato Grosso e dar maior segurança para os motoristas.

No Salão Clóves Vettorato, Silval preferiu dar ênfase à duplicação dos 23,4 quilômetros da Rodovia dos Imigrantes, por onde passa quase 70% da produção de Mato Grosso. “Sem dúvida, trata-se de uma medica urgente, porque a tendência é de nova quebra de recorde de produção de grãos, em 2014”, projeta o governador.


Cesar Borges se colocou como parceiro de Mato Grosso. Ele recorda que o Estado é responsável por mais de um terço da balança comercial brasileira e que merece tratamento diferenciado do governo federal. Borges aponta a necessidade de integrar a logística de transporte, em caráter de urgência: rodovias, ferrovias e hidrovias.


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD), foi quem deu o tom da cobrança pelo asfalto da BR-174 de Juína até Vilhena, em Rondônia. “Mais de 70% do que é consumido no noroeste mato-grossense, principalmente combustíveis, vem de Rondônia”, pontua ele, ao justificar a exigência de agilidade nas ações.


José Riva cita que recebeu informações de casos de pessoas que morreram na estrada, em atoleiros, dentro de ambulância, quando buscavam socorro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui