Deterioração da via ainda provocou mudança em rotas de ônibus e passageiros de BRTs e linhas que trafegam na faixa exclusiva precisam descer na pista mista

Os usuários de transporte público que trafegam na PE-15, em Olinda, na região metropolitana do Recife (RMR), têm passado por problemas diariamente. Devido buracos em alguns pontos do pavimento do corredor exclusivo da rodovia, a operação no trecho foi suspensa e as as estações Bultrins, Quartel e Sítio Histórico do sistema BRT Norte/Sul foram desativadas temporariamente.

De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT), agora o desembarque dos passageiros passa a ser feito no corredor de tráfego misto da PE-15 . O embarque ocorre a partir da estação Matias de Albuquerque. Passageiros de linhas convencionais que trafegam no corredor exclusivo também tiveram os pontos de embarque e desembarque modificados. Com as mudanças, o trânsito no local que já é ruim ficou ainda mais lento do que o normal.

Os usuários das linhas convencionais precisam se deslocar das paradas para a pista mista deste corredor, segundo o Grande Recife Consórcio. Quem precisa embarcar nos BRTs nessas estações, segundo o consórcio, deve pegar os ônibus convencionais em direção ao terminal da PE-15. Na integração, os passageiros vão ter acesso aos veículos do BRT.

Preventivamente, o GRCT, em comum acordo com a empresa concessionária que opera no corredor, decidiu desviar os ônibus do local até a finalização do serviço tapa buraco na área. Segundo o Consórcio, 12 linhas de ônibus, sendo cinco convencionais e sete de BRT, sofreram desvio na PE-15, a partir de desativação temporária das estações Sítio Histórico, Quartel e Bultrins.

A medida afeta 44 mil passageiros das linhas convencionais e outros três mil que utilizavam as estações. Nesta segunda-feira (16), orientadores estarão nestas três estações de BRT e nas paradas de ônibus próximas informando aos usuários sobre as mudanças a partir da desativação provisória das estações. Além disso, cartazes também serão afixados nos locais.

A degradação do corredor de BRT Norte-Sul, que tem 33 km de extensão e 26 estações, está na mira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A destruição do pavimento da PE-15, principal eixo do corredor que liga a cidade de Igarassu ao centro do Recife, foi justamente o que mais chamou atenção do órgão.

Pelos cálculos do TCE, o governo do Estado já gastou R$ 28,3 milhões com uma pavimentação que deveria durar ao menos 15 anos, mas que se desfez em menos de quatro anos de operação. Inicialmente, o valor do Norte-Sul era de R$ 156 milhões, mas com os aditivos já ultrapassou essa quantia em cerca de 20%, chegando a quase R$ 187 milhões. Desse total, R$ 159 milhões já foram pagos às empresas que o executaram.

Em nota, a Secretaria das Cidades informou que identificou problemas em alguns pontos do pavimento do Corredor BRT Norte-Sul e vem tomando providências, tanto para a remediação, como para apuração das causas. Dentro do cronograma estabelecido, a ação em frente ao Quartel de Olinda iniciará nesta segunda (19) e deve ser finalizado em 45 dias. A previsão é que todo o corredor seja concluído no final do ano.

Fonte: Destak Jornal

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui