Governador gaúcho decide ficar em Carazinho à espera de decisão sobre pedágio

Postado dia 7/3/2013 | | 0 comentário

A cúpula do Palácio Piratini, deslocada para Carazinho nesta quarta, passou o dia aguardando a decisão do Superior Tribunal de Justiça sobre o recurso que tenta cassar a liminar que deu à Coviplan o direito de gerir o polo de pedágio da região até 28 de dezembro.

O governador Tarso Genro, que estava em Brasília, chegou ao final da tarde à cidade ainda a tempo de participar do evento. Ele afirmou que permanecerá em Carazinho até que seja conhecida a decisão do STJ.Durante discurso no encontro coordenado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado.

Tarso disse que as empresas privadas que administram os pedágios no RS visam somente ao lucro e, por isso, acabam impondo uma pena à população sem atender os requisitos mínimos. “A responsabilidade não é das empresas e, sim, do governo e dos políticos, que implantaram esse sistema nas rodovias gaúchas há 15 anos”, destacou.

Ele afirmou ainda que caso a liminar favorável à Coviplan não seja derrubada, o Piratini ainda tem condições de levar para uma outra instância. “Sabemos que é difícil, mas temos que ter calma”, observou.

Quatro praças de cobrança de pedágio compõem o polo de Carazinho: duas nas BR 285 (entre Passo Fundo e Carazinho e outra entre Carazinho e Santa Bárbara) e duas na BR 386 (entre Carazinho e Sarandi e outra próxima de Soledade).


Notícias Relacionadas


No tags for this post.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *