Mais de 1,5 milhão de veículos são alvo de recall neste ano

Postado dia 18/9/2017 | Tags:, , , , | 0 comentário

Entre janeiro e agosto, 94 campanhas de recall, abrangendo 1,58 milhão de veículos, foram realizadas pelas montadoras, segundo levantamento feito a partir do banco de dados do Procon-SP. O número é 62% superior ao registrado em igual período de 2016 e já se aproxima do volume de todo o ano passado, quando 1,66 milhão de unidades foram convocadas para reparos.

Dos 94 recalls, 31 são relacionados a falhas no airbag, alta de 93,7%  em relação a janeiro a agosto de 2016. Naquele período, de 71 campanhas registradas, 16 foram de defeito no dispositivo de segurança. O número de veículos  envolvidos aumentou 41,7%, na mesma comparação, para 815.863 – metade do total de unidades que foram alvo de recall neste ano.

Na maior parte dos casos, as campanhas são para a troca dos chamados “airbags mortais”, produzidos pela Takata. A falha causou mais de 10 mortes comprovadas em diferentes países e motivou o maior recall mundial da história da indústria automotiva. No Brasil, além da Toyota, outras 15 marcas fizeram campanha envolvendo o sistema de airbag em 2017.

Falhas no sistema de fechamento (portas, vidros capôs etc.) são o segundo motivo de recalls, com 186.662  veículos envolvidos. Em seguida, aparecem sistema elétrico/eletrônico, com 185.661 unidades, e sistema de tração (150.155). Entre janeiro e agosto, também foram convocados 102.885 veículos com problemas no sistema de freio, contra 11.898 em igual período do ano passado.

Pesquisa do Procon-SP indica que apenas 12,82% dos proprietários de carros atingidos por recalls no primeiro semestre de 2016 fizeram os reparos necessários. O órgão destaca que o consumidor deve atender ao chamado o mais rápido possível, embora não haja data limite para a realização dos reparos.

“Feito o reparo, o consumidor deve exigir e guardar o comprovante de que este foi realizado”, diz. Em caso de venda do veículo, esse documento será repassado para o novo proprietário.

Fonte: ASCOM


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *