Mais de 200 pessoas morreram nas estradas no feriado de Carnaval

Postado dia 2/3/2017 | Tags:, , , , , , | 0 comentário

Por todo país, com raras exceções, os números indicam aumento nas mortes em decorrência dos acidentes nas rodovias estaduais e federais durante o período do Carnaval. A irresponsabilidade dos condutores, acima de tudo, contribui para confirmar a estimativa feita pelo SOS Estradas de que pelo menos 200 pessoas morreriam nas rodovias federais e estaduais durante o perído de sexta-feira (24/2) até 01/03). Pelos resultados preliminares é possível afirmar que essa previsão  foi superada em pelo menos 15%.

Nas estradas mineiras, um levantamento parcial indicava que o número de mortos já se aproxima dos dados do ano passado. Em 2016, 34 pessoas perderam a vida em acidentes. Do total, 21 óbitos foram em rodovias estaduais e outros 13 nas estradas federais. Das 32 mortes deste ano, 18 foram em rodovias federais e o 13 nas estradas estaduais.

Nas rodovias estaduais do Paraná o balanço divulgado nesta quarta-feira (1) pela Polícia Militar do Paraná, revelou que foram registrados 133 acidentes com 132 feridos e 10 mortos, além de três atropelamentos neste feriado. No mesmo período do ano anterior, foram 127 acidentes, 129 feridos, sete mortos e três atropelamentos. Nas rodovias federais a atuação da PRF revela números assustadores. Mais de 14.500 veículos foram flagrados acima do limite máximo de velocidade, 173 motoristas abordados dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas e 843 manobras de ultrapassagens proibidas.  O saldo foram 20 mortos, 196 feridos e 192 acidentes atendidos no estado,durante  a operação da PRF que começou na última sexta-feira (24) e foi concluída no final da noite de ontem (1).

Em São Paulo foram 18 pessoas mortas nas rodovias estaduais, que estão entre as melhores do país. Em Goiás o número de mortes em rodovias estaduais durante o carnaval deste ano triplicou em relação a 2016. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), até a terça-feira (28), nove pessoas morreram nas estradas goianas.

Os números revelam uma doença crônica no trânsito brasileiro. Vale a pena ouvir o comentário do Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto,  sobre o tema. Clique aqui

 

 


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *