Motorista denuncia agressão de policiais civis em briga de trânsito

Postado dia 12/7/2018 | Tags:, , , , , , , , | 0 comentário

Uma testemunha filmou policiais algemando e agredindo um motorista na BR-040. Polícia Civil acusa o motorista de direção perigosa

m motorista abriu uma denúncia na Corregedoria da Polícia Civil acusando dois policiais de agressão após uma suposta discussão de trânsito na BR-040, no trevo de Congonhas, Região Central de Minas Gerais. Uma testemunha filmou a ação, que ocorreu na manhã desta quarta-feira. A vítima alega que não haviam motivos para a prisão e que os policiais agiram com truculência. Já a Polícia Civil acusa o motorista de direção perigosa e diz que, por isso, ele foi abordado.

As imagens gravadas no celular mostram dois homens, que seriam policiais civis à paisana, tentando algemar Frederico Paulino, de 37 anos. O comerciante conta que voltava para Belo Horizonte e num estreitamento de pista acabou fechando o carro em que os policiais estavam. “Eu estava voltando da casa de um amigo, próximo de São João del-Rei. Por volta das 8h, estava passando pela BR-040, em Congonhas. Neste trecho, a via ‘afunila’ de duas pistas para uma pista”, contou em entrevista ao Estado de Minas, na tarde desta quarta-feira.

Na versão de Frederico, a ação dos policiais foi arbitrária. “Não aconteceu nada. Não teve ‘freiada’, não teve buzina e muito menos batida. O policial já pediu para eu sair do carro com ‘as mãos na cabeça’. Eu não entendi o motivo, mas desci e logo o questionei. Ele disse: ‘eu vou atirar’ e eu respondi: ‘então atire’. Foi então que ele ficou ainda mais bravo e disse que eu estava preso”, relata. Segundo o motorista, cerca de 20 pessoas presenciaram a situação.

A Polícia Civil disse, por meio de sua asessoria de imprensa, que “os policiais estavam a caminho de Belo Horizonte em uma diligência, quando avistaram o motorista fazendo zigue-zague na rodovia e ultrapassagem perigosa em local proibido. A partir daí, foi efetuada a abordagem e acionada a Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O motorista classificou o ocorrido como uma humilhante covardia. “Foi uma ação totalmente arbitrária e covarde. Todos no local estavam a meu favor. Ele me bateu, quebrou  meu telefone, rasgou minha roupa”, desabafa. Ele alega ter resistido à prisão por não haver motivos e chegou a entrar em luta corporal com o policial. “Ele tentou me algemar a todo o custo. Mas eu não estava entendendo o que estava acontecendo. Perguntei diversas vezes para ele: ‘o que eu fiz? Por que está me prendendo? Eu tenho direito de saber’. Mas, ele não respondia e continuou a tentar me algemar”, argumenta.

Ainda de acordo com Frederico, uma viatura da PM chegou ao local e o colocou, algemado, no camburão até a chegada da PRF. “Eles me colocaram na viatura e fiquei quase duas horas lá, sem poder falar uma palavra”, contou. O comerciante ainda afirma que nenhuma autoridade registrou boletim de ocorrência, e que a PRF decidiu liberá-lo quando ele pediu para ser levado à delegacia. “A Polícia Rodoviária Federal foi chamada para dar continuidade à ocorrência. Até então, eu ainda não sabia o motivo da minha prisão. Em seguida, a Polícia Civil foi embora e a PRF me liberou. Isso tudo foi entre 8h e 10h”, relatou.

“Eu sou uma pessoa da paz, foi muito vergonhoso passar por aquilo. Agora, estou todo machucado”, afirma Frederico. Após o ocorrido, ele decidiu denunciar o caso à Corregedoria da Polícia Civil. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Polícia Civil ainda não confirmou se recebeu a denúncia.

Fonte: www.em.com.br


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *