Movimento nas rodovias com pedágio aumenta 0,6% em setembro, diz ABCR

Postado dia 11/10/2018 | Tags:, , , , , , , , , | 0 comentário

Fluxo de veículos leves puxou alta; de janeiro a setembro, fluxo caiu 1,8%

Em setembro, o movimento de veículos nas estradas e rodovias pedagiadas subiu 0,6% em relação ao mês de agosto. Os dados foram divulgados nesta 4ª feira (10.out.2018) pela ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias).

A alta foi puxada pelo aumento de 1,8% na movimentação de veículos leves, como automóveis de passeio. Já o movimento de veículos pesados, como caminhões e transportes de cargas, caiu 1,4% no período.

De acordo com Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria, apesar de o índice ter se mantido estável nos últimos dois meses e apresentado uma ligeira alta em setembro, o fluxo total de veículos ainda está abaixo do registrado antes da greve dos caminhoneiros. Em relação ao 2017, o movimento nas rodovias recuou 3,4%

“Esse movimento é, em grande medida, resultado do comportamento do fluxo de veículos leves nos últimos meses que, apesar do moderado crescimento recente, ainda não retornou ao volume habitual de veículos”, explica ele.

Na avaliação de Xavier, o fluxo de veículos pesados continua em níveis próximos aos dos primeiros meses do ano. Mas, para ele, a queda em relação a setembro de 2017 (-1,5%) “é 1 sinalizador ruim da produção industrial no período”.

De janeiro a setembro, o movimento nas estradas caiu 1,8%. Reflexo da queda de 2,6% no movimento de veículos leves e da alta de 0,7% no fluxo de veículos pesados.

O que é o índice ABCR?

O índice mede o fluxo de automóveis nas estradas e rodovias do país sob concessão privada. É produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

Os dados, divididos entre veículos leves, como os carros de passeio, e pesados, como caminhões, podem ser analisados como indicadores do desempenho da economia brasileira, especialmente em relação à atividade de setores da indústria, comércio e serviços.

Fonte: www.poder360.com.br

 


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *