O Paraná tem hoje em andamento obras de duplicação e manutenção em nove trechos estratégicos de rodovias, que somam R$ 2,1 bilhões em investimentos, com recursos do Governo do Estado ou em parceria com as concessionárias. São 132,2 quilômetros de implantação de pistas duplas, com trincheiras, viadutos e novas sinalizações. Também estão em execução manutenção e conservação de quase 12 mil quilômetros da malha rodoviária paranaense.

 

 

“As melhorias nas estradas paranaenses resultam em mais segurança e conforto para os usuários e menor custo no transporte e escoamento da safra agrícola paranaense”, afirma o governador Beto Richa. O governador ressalta que a melhoria das rodovias faz parte da política do governo estadual para estimular o desenvolvimento e garantir mais competitividade aos produtos paranaenses.

Nas rodovias estaduais circulam a maior parte dos produtos agrícolas e industriais produzidos no Paraná e, também de outros Estados, que seguem para os portos paranaenses. Pelo terceiro ano consecutivo, os Portos de Paranaguá e Antonina registram recorde histórico na movimentação de cargas. O Porto de Paranaguá é o segundo no país em número de exportação de grãos.

Duplicação-de-estradas-no-Paraná Paraná com mais pistas duplas

PRINCIPAIS RODOVIAS – As principais rodovias que ligam o Litoral e os municípios da Região Metropolitana de Curitiba ao interior do Estado passam por obras de duplicação. Na Rodovia do Café (BR-376) serão duplicados 231 quilômetros entre Ponta Grossa e Apucarana, com investimento de R$ 1 bilhão.

A primeira fase da duplicação começou por Ponta Grossa, com 11 quilômetros (km 465 ao km 476). Ao longo deste trecho será construído uma nova ponte sobre o rio Tibagi. Ainda neste semestre começa a duplicação no trecho entre Apucarana e Califórnia.

Na mesma rodovia BR-376 também estão sendo realizadas as obras do contorno de Mandaguari (região Norte) e a duplicação entre Jandaia do Sul e Apucarana (no Vale do Ivaí).

GUARAPUAVA – Na BR-277 está em andamento a duplicação de 6,7 quilômetros entre Guarapuava e o distrito do Relógio, na região central do Estado. Ainda nesta rodovia, está em fase final a construção de 11 quilômetros do contorno de Campo Largo, na região Metropolitana de Curitiba. O contorno desviará a trafego intenso de carros e caminhões que atualmente passa no Centro do município.

Outra obra de destaque na RMC é a duplicação de 6,5 quilômetros da Rodovia da Uva (PR-417), entre Curitiba e Colombo. Serão investidos R$ 35 milhões com recursos próprios do governo estadual.

MENOS ACIDENTES – O governador Beto Richa lembra que o movimento de veículos nestas estradas é intenso e que as obras irão reduzir o número de acidentes. “A redução do índice de acidentes já pode ser constata nos trechos de duplicação concluída”, diz Richa.

É o caso do trecho da BR-277 entre Medianeira e Matelândia, na região Oeste do Estado, entregue no final do ano passado. Já foi constatado queda de 38,1% na ocorrência de acidentes.

INVESTIMENTOS – As obras de duplicação em parceria com as concessionárias somam R$ 1,7 bilhão. O investimento em obras de manutenção e conservação nas rodovias estaduais, realizadas pelo Governo do Estado, são de R$ 600 milhões.

O Paraná tem hoje a terceira melhor malha rodoviária do Brasil. O Estado fica atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro, de acordo pesquisa da Confederação Nacional de Transporte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui