Pedágio na BR-163 fica mais caro e setor cobra retomada da duplicação

    A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou o reajuste de 2,18% no valor da tarifa de pedágio no trecho da BR-163 que está sob concessão em Mato Grosso. A medida passou a valer nesta quinta-feira, dia 18.

    Na prática, foram acrescentados R$ 0,10 aos valores cobrados por eixo. As novas tarifas agora variam de R$ 3,80 a R$ 7 por eixo, de acordo com a área de abrangência da praça de pedágio. Segundo a concessionária, os valores arrecadados com a cobrança são investidos majoritariamente na rodovia, com obras de pavimentação, recapeamento e atendimento aos usuários. O trecho em sob concessão da Rota do Oeste vai do município de Itiquira, na divisa com Mato Grosso do Sul, até a cidade de Sinop. São 850,9 quilômetros ao todo, onde estão instaladas 9 pontos de pedágio.

    Como justificativa para a revisão tarifária, a ANTT informou que realiza o cálculo com base no índice Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) entre julho de 2017 e julho deste ano.

    O reajuste vai impactar no bolso de que tem utiliza a rodovia, seja apenas para passeio ou para transportar a produção. Para exemplificar, um caminhão com 9 eixos (mais utilizado para transportar a safra) que sai do município de Sinop e precisa atravessar o estado para chegar ao porto de Paranaguá (PR), pagará R$ 392,40 de pedágio apenas aqui em Mato Grosso.

    Mais do que o encarecimento do pedágio, é a atual situação da BR-163 que gera reclamações. Presidente da Aprosoja-MT, Antônio Galvan diz que o problema é “pagar o pedágio e não ver as obras de duplicação da BR-163 avançarem”.

    No modelo de concessão da rodovia, dos 850,9 km que precisam ser duplicados, 453 Km estão sob a responsabilidade da concessionária Rota do Oeste. O restante, para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Do trecho que cabe a concessionária, apenas 117,6 km foram duplicados.

    Fonte: https://blogs.canalrural.uol.com.br

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here