Radares nas rodovias federais da microrregião em SC estão desativados

Postado dia 12/12/2017 | Tags:, , , , , , , , , , , , | 0 comentário

DNIT afirma que medida foi tomada em todo país por questão contratual. Equipamentos entre Guaramirim e Corupá, na BR-280, foram retirados

s radares instalados na BR-280, entre Guaramirim e Corupá, estão sendo retirados das margens da rodovia. Os equipamentos já estavam desligados há alguns meses em todo país por determinação do Governo Federal. De acordo com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), a medida está sendo tomada por questões, mas os redutores de velocidade serão mantidos nas áreas urbanas.

Os equipamentos de controle de velocidade devem ser trocados e o processo para contratação de uma nova empresa estaria em fase final de licitação, conforme o Dnit. Em Santa Catarina, são 197 radares que ficaram inativos. Apenas nos municípios de Guaramirim, Jaraguá do Sul e Corupá, por onde passa a BR-280, são 13 equipamentos. Dois em Guaramirim, dois em Jaraguá do Sul e nove no município de Corupá.

O frentista Adão Ribeiro trabalha em frente a um dos pontos que não conta com mais com a fiscalização na rodovia em Guaramirim. Segundo ele, o equipamento não estava mais ligado há cerca de quatro meses. “Neste período, deu pra notar que o pessoal está andando mais rápido porque não tem radar. Quando você sabe que pode ser autuado, anda mais devagar e até evita possíveis colisões”, aponta Ribeiro.

Já o casal de microempreendedores Deilson e Zaíra de Oliveira, que possuem um estabelecimento nas proximidades da entrada do bairro Guamiranga, avaliam que, com ou sem o equipamento, é complicado entrar e sair da BR-280 no local. “Com o radar os motoristas diminuem a velocidade, mas, mesmo assim, não dão a vez para os outros veículos ou pedestres. Isso acaba causando muitos acidentes”, destaca Oliveira.

Zaíra pontua que recentemente, um homem de 58 anos morreu após ser atropelado por uma motocicleta naquele trecho da rodovia. “Toda semana tem alguma ocorrência. Um semáforo ou passarela para os pedestres ajudaria nesta questão”, aponta ela. O casal ainda revela que para acessar a pista da BR de carro, levam em média três minutos.

No comunicado, o Dnit ainda aponta que, independente do funcionamento dos equipamentos, a velocidade regulamentar das vias permanece a mesma e deve ser obedecida pelos motoristas.

PRF se manifesta contra retirada dos radares

A Polícia Rodoviária Federal em Santa Catarina, em nota enviada ao jornal O Correio do Povo, afirma que vê com preocupação o fato, uma vez que o controle do excesso de velocidade é essencial para a redução de acidentes.

Para tentar minimizar o problema, a PRF garante que irá procurar intensificar a fiscalização de velocidade com seus radares estáticos portáteis, inclusive nos locais onde os radares fixos do DNIT estão temporariamente desativados.

A polícia ainda solicita aos usuários das rodovias federais que continuem respeitando os limites de velocidade para cada trecho, independente da presença policial ou de radares fixos, desativados ou não. “A conscientização de cada motorista é fundamental para evitar acidentes e prevenir o assustador índice de mortos e feridos no trânsito brasileiro, que afeta milhares de famílias, ano após ano”, completa a PRF em comunicado.

Fonte: OCP Online


Notícias Relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *