Rodovias da Serra serão restauradas e mantidas por cinco anos

Postado dia 29/11/2011 | | 0 comentário

Com o objetivo de restaurar as rodovias da Serra e garantir as boas condições das vias, o secretário de Infraestrutura e Logística do RS, Beto Albuquerque, anunciou que a licitação que estava em andamento para restauração de 240 km será alterada.

“Tomamos esta decisão para que as rodovias da Serra, que estão sem contrato de restauração desde 2009, além de serem restauradas sejam mantidas em boas condições por cinco anos”, explicou o secretário.

Conforme o secretário, com a alteração do processo licitatório para o Programa Crema, haverá um atraso de cerca de 30 dias, mas a mudança representará um ganho de cinco anos, uma vez que as empresas vencedoras do certame terão a obrigação de manter as rodovias em boas condições por este período.

O secretário de Infraestrutura percorreu a ERS-324 e a RSC-470, onde pode constatar que as rodovias apresentam trechos muito ruins que necessitam de intervenções emergenciais. “Após dialogarmos com as empreiteiras, daremos início, nos próximos dias, as obras preliminares e de recuperação emergencial dos trechos.

A decisão de incluir os trechos no Programa Crema ira permitir além dos R$ 52 milhões previstos para restauração um aporte de recursos para sua manutenção.

Pedágios

Em sua explanação, o titular da Seinfra voltou a reafirmar que a praça de pedágio de Farroupilha será extinta. “Essa praça tem data para acabar. Qualquer que seja a decisão futura, se um pedágio comunitário ou privado, esta praça não existirá mais com o fim dos atuais contratos”, garantiu Beto ao ser ovacionado pelos presentes no evento.

Beto Albuquerque disse, ainda, que o Governo do Estado está contratando uma consultoria, por meio de licitação, que irá avaliar e propor modelos para os diferentes cenários. “Estamos avaliando as diferentes modelagens que podemos ter, inclusive com tarifas diferentes. Poderemos ter uma tarifa maior em um local que precisa de mais obras e uma menor em um local que precisa apenas de manutenção. Estamos estudando todas as variáveis e temos apenas uma certeza: esse modelo que está aí não continua”, disse.



Notícias Relacionadas


No tags for this post.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *