Coincidindo com o Dia Mundial da Saúde — neste ano dedicado ao trânsito — e com o propósito de atuar de forma mais punitiva na fiscalização em rodovias estaduais e federais, foi iniciada oficialmente, ontem, na sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Operação Semana Santa.

A expectativa é que, no feriado prolongado, cerca de 70 mil pessoas deixem a Capital em direção às praias, ao sertão e às serras. Para monitorar o tráfego nas CEs e BRs nesse período, uma média de 1.200 agentes vão trabalhar em blitze, patrulhas móveis da PRF, nos 15 postos de fiscalização estadual e 11 da federal e em atendimento. Um total de 40 viaturas móveis circularão pelas rodovias abordando, orientando e, se for o caso, autuando.

Neste ano, no feriado momino a PRF registrou 29 acidentes e 22 feridos. Se não fosse o acidente com o ônibus em Barro, em que foram vitimadas 42 pessoas, nenhuma outra morte teria sido registrada.

Já em 2003, foram 39 acidentes, 31 feridos e dois mortos. Na Semana Santa do ano passado, a PRF contabilizou 22 acidentes em rodovias federais, 11 feridos e uma morte.

“Na Semana Santa, as pessoas bebem muito vinho e acham que não vão se embriagar. Outras não têm costume de beber, e o efeito da bebida é pior”, analisa o inspetor Stênio Pires, chefe da seção de fiscalização e policiamento da PRF.

De acordo com o gerente do Núcleo de Trânsito do Departamento de Edificações, Rodovias e Transportes (Dert), Luiz Gonçalves, todo o trabalho do órgão é feito com a Companhia de Policiamento Rodoviário (CPRV).

“Há dois anos temos trabalhado em conjunto com todos os órgãos de trânsito. Mas agora seremos mais rígidos. Na abordagem, vamos fazer com que a pessoa sinta o impacto da fiscalização, não apenas da educação. Nós vamos orientar, mas também vamos punir”, promete.

Isso porque, segundo Luiz Gonçalves, muitos motoristas se comoviam com a situação, porém mais adiante cometiam a infração. “Não adianta passar a mão na cabeça. Infelizmente, tem que ser assim, fiscalização punitiva”, diz.

No caso das rodovias federais, a atenção será intensificada nas saídas de Fortaleza: BR-116 e BR-222. Já as estaduais que requerem cuidados redobrados são a CE-085 (Estruturante), CE-040 (que leva a Aracati), CE-025 (do Porto das Dunas) e CE-090 (do Icaraí). Mas como as viagens não se concentram nas praias — muitas pessoas vão para o sertão e serras —, o volume de tráfego aumenta nas CEs-060 (Baturité) e 065 (Maranguape, Itapebussu).

MOTORISTA — “Cautela, paciência, evitar excesso de álcool”. É a recomendação do engenheiro civil Luís Antonio Souza para quem vai viajar na Semana Santa. Apesar de não ter planos de ir além de 100 quilômetros fora da Capital, o engenheiro diz que verifica o motor, óleo, freio e documentos do carro antes de viajar.

“É importante, para evitar ser pego em uma blitz”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui