O prefeito Beto Richa assinou ontem a ordem de lançamento da concorrência internacional para a implantação da primeira fase do Eixo Viário de Integração, que ligará as Ruas Vicente Michelotto, na CIC, a Ângelo Zanon, no Tatuquara.

A obra facilitará o acesso ao centro das 22.168 famílias que moram nos conjuntos de moradias da Companhia de Habitação de Curitiba (Cohab) na região.

O eixo viário será financiado pelo Fondo Financiero para el Desarrollo de la Cuenca del Plata (Fonplata). Participaram da cerimônia 11 líderes comunitários do Tatuquara.

A obra era esperada pela comunidade há quase 20 anos. “Os recursos previstos para o eixo não iriam sair. Graças à austeridade na gestão pública, a Prefeitura obteve a certidão negativa do Tribunal de Contas que viabilizou o financiamento do Fonplata”, afirmou o prefeito Beto Richa.

O secretário municipal de Obras Públicas, Mário Tookuni, explicou que o eixo de integração permitirá o acesso do Tatuquara ao centro da cidade. “Os moradores dos programas habitacionais da Cohab não precisarão cruzar as BRs 116 e 476, o que vai proporcionar mais segurança ao transporte coletivo”, afirmou Tookuni. O diretor-presidente da Cohab, Mounir Chaouwiche, disse que a obra permitirá a interligação de diversas vilas e moradias na região do Tatuquara.

Por ser uma concorrência internacional, o prazo de licitação é de 60 dias. A abertura dos envelopes será no dia 3 de setembro. Os editais serão vendidos, no valor de R$ 70,00, a partir de hoje na sede da Secretaria de Obras Públicas, na rua Emílio de Menezes, 450, São Francisco.

Trajeto

Todo o Eixo Viário de Integração terá cerca de 7 quilômetros e custará R$ 20 milhões. No entanto, nesta primeira fase, serão implantados 3.782,26 metros entre as ruas Antônio Zanon, no Tatuquara, e a rua Vicente Michelotto, na CIC.

Serão investidos R$ 10,2 milhões para a execução de obras de terraplanagem, drenagem, base de concreto, rede de captação de águas pluviais, asfaltamento, calçadas, paisagismo, sinalização horizontal e vertical.

Curitiba dará contrapartida

Do total a ser investido, R$ 2,6 milhões são contrapartida da Prefeitura. O eixo começará na Rua Vicente Michelotto e passará por uma nova rua que será implantada na faixa de domínio da linha de transmissão de energia da Copel, com pistas de 7 metros. Serão 900 metros de nova via, passando próximo do assentamento Moradias Tamarindo, com 400 famílias.

A nova ligação viária segue pela Rua 13, que terá 11 metros de largura, até se encontrar com a rua Paul Garfunkel, no Tatuquara, que será revitalizada num trecho de 1.200 metros. A recuperação de pista atenderá 2.634 famílias da Vila Verde.

Da Paul Garfunkel, será feita uma recuperação até a Rodovia do Xisto, que atenderá os assentamentos Moradias Vitória Régia, Moradias Santa Tereza, Moradias da Ordem, Moradias Paraná e Moradias Santa Cecília, que somam 5.792 famílias.

A obra segue pela rua Jovenilson Américo de Oliveira, entre as ruas Ernesto Hanemann e a Santa Rita de Cássia dos Impossíveis, onde serão recuperados 600 metros de rua, com pistas de 7 metros de largura. Neste ponto, o Eixo de Integração atenderá 11.479 famílias dos assentamentos Moradias Santa Rita, Moradias Monteiro Lobato, Moradias Evangélicos e Moradias Rio Bonito.