Uma ação judicial pede que o diretor-regional do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) , João Alberto Sautchuk, e o chefe do órgão em Londrina, Robson Kenji Saito, sejam responzabilizados criminalmente pela falta de providências contra a precariedade da BR-153, em um trecho de 60 quilômetros entre Santo Antônio da Platina e Ibaiti, no Norte Pioneiro. A autora da ação é a Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi ).

“Não é possível mais tolerar esse desmando”, diz o presidente da Amunorpi e prefeito de Japira, Wilson Ronaldo Rony de Oliveira Santos (PSDB). A ação judicial lembra que a BR-153 foi bloqueada em Santo Antônio da Platina, no dia 21 de setembro do ano passado, em protesto contra o descaso das autoridades.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária relatadas no processo, em apenas vinte dias (de 20 de dezembro a 10 de janeiro deste ano) ocorreram sete acidentes no trecho, com três vítimas fatais. “Passaram-se quatro meses desde o último protesto e ninguém fez nada”, diz o presidente da Amunorpi. “Estamos criando mecanismos para forçar a autoridade a trabalhar.”

Segundo o advogado que elaborou a ação, César de Mello, em 8 de março de 2001, o ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, visitou a estrada, constatou a precariedade da pista e anunciou recursos financeiros para as obras, mas as providências não foram tomadas.

Os responsáveis pelo DNER não foram localizados para comentar a ação da Amunorpi. A assessoria do departamento informou que o departamento deverá aguardar a manifestação da Justiça para se pronunciar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui