Por causa do período eleitoral, liberação de verba deve sair só em novembro

O caminho para o início das obras do Complexo Viário Sul, que trata das alças e trincheiras de acesso entre Nova Lima e o Belvedere, em Belo Horizonte, pode ficar livre do único entrave na próxima semana. Os deputados estaduais deverão votar na Assembléia Legislativa um novo substitutivo que vai liberar parte da Estação Ecológica do Cercadinho para receber as intervenções viárias necessárias. O documento, de autoria dos deputados Délio Malheiros (PV), João Leite (PSDB), Adal Clever (PMDB) e Roberto Carvalho (PT), está em redação final e fica pronto ainda nesta semana. “Entramos em um consenso e todos se comprometeram a votar o mais rápido possível. Semana que vem já fica liberado em primeiro e segundo turno”, afirmou o deputado Délio Malheiros. A polêmica em torno da estação ecológica é antiga e transformou a unidade ambiental no maior obstáculo para a melhoria do trânsito da região do Belvedere.

A tentativa de mudança na legislação estadual esbarrou no argumento que o local preserva um manancial de água fundamental para o abastecimento da cidade. “Os únicos locais que serão afetados não oferecem impacto nenhum. É a área ao lado do shopping, outra perto do supermercado e outra próxima ao empreendimento do Portal Sul. O resto ficará preservado”, garantiu Malheiros. O conselheiro consultivo da Associação Mineira de Defesa do Meio Ambiente (Amda), Francisco Mourão, defende uma discussão mais aprofundada do substitutivo antes da votação na Assembléia. Para Mourão, é necessária a discussão da titularidade da área a ser retirada da estação, antes de se tomar qualquer medida para o início das obras. “Não somos contra a alça. Ela é necessária para os moradores da região e para Nova Lima. Mas não podemos concordar com a mutilação da estação ecológica.

Afinal, mesmo estando desgastada, ela pode ser preservada e recuperada com o tempo.” O orçamento para a realização de toda a obra, que prevê alças de acesso que ligam a MG-030 à BR-356 – uma para quem vem de Nova Lima e outra para quem faz o sentido contrário -, além de viadutos, já está garantido por emendas de parlamentares mineiros no Congresso Nacional. Segundo o secretário Municipal de Políticas Urbanas, Murilo Valadares, a assinatura do convênio deverá ser feita em novembro em função do período eleitoral. “Se a lei for mudada, a obra vai andar. Não tenho ainda a previsão do custo do empreendimento, mas o orçamento está garantido pela União. Serão feitas todas as intervenções necessárias naquela região”, disse.

O Portal Sul, empreendimento de lojas que está sendo construído às margens da BR-356, em frente aos motéis, vai arcar com uma das alças que liga a mesma rodovia à MG-030, no sentido Rio de Janeiro/Belo Horizonte. A obra faz parte da contrapartida e vai contribuir com a retirada de parte dos veículos que circulam pelo trevo do BH Shopping, que pára nos horários de pico. Algumas condicionantes deverão ser realizadas pelos responsáveis pelo empreendimento. Uma passarela sobre a BR-356 vai interligar os pontos de ônibus nos dois lados da rodovia. O projeto vai incluir tratamento urbanístico, com calçada, canteiro central, integrando os acessos de pedestres à passarela e aos pontos de parada de ônibus.

Repercussão
Associação de bairro está otimista

O presidente da Associação dos Amigos do Bairro Belvedere, Ubirajara Pires Glória, disse estar confiante em relação ao andamento da tão aguardada obra que vai desatar o nó que trava a vida de quem passa ou mora na região. “O acordo é que o substitutivo dos deputados estaduais contemple o que discutimos. Somente a área que vai ser usada para a obra que deverá ser retirada da estação ecológica”, afirmou. Para o representante dos moradores, o mais difícil foi conquistado. “Não temos mais dúvidas. Essa obra é fundamental para termos meio de locomoção por aqui.”