Somente da madrugada de quinta-feira (26) até ontem (29), 27 condutores embriagados foram autuados pelo Detran. A Polícia Miltar prendeu pelo menos outros cinco apenas neste fim de semana. Ao menos quatro acidentes foram causados por motoristas alcoolizados, sendo que em um, quatro pessoas morreram e três ficaram feridas.

O mais grave acidente do final de semana ocorreu na rodovia DF-190, que liga Ceilândia a Santo Antônio do Descoberto (GO), na noite de sábado. Duas das vítimas morreram no local, perto do Córrego Belchior: Ana Paula Soares Quiantino, 28 anos, e L.H.S.S., três anos. Nilma Soares Pinto, 43 anos, e L.L.G.S, quatro anos, chegaram a ser levados para o Hospital Regional do Gama (HRG) e o Hospital de Base do DF (HBDF), mas também não resistiram.

Outras três pessoas ficaram feridas. Uma delas é Willian Gomes da Silva, 30 anos, que dirigia o Santana, placa JEB7050-DF, que bateu de frente com o caminhão, placa MGT 6705-GO. Ele foi o único do Santana que sobreviveu. Na Scania, o motorista Marcio Carlos Batista Fontenele, 38 anos, e passageiro Luiz Otavio Torres, 35 anos, tiveram só ferimentos leves. O teste do bafômetro e exames do Instituto Médico Legal (IML) constataram que o caminhoneiro estava bêbado. Ele foi preso em flagrante e permanece na carceragem do Departamento de Polícia Especializado (DPE).

Além do grave acidente na DF-190, outras três ocorrências envolvendo condutores embriagados resultaram em vítimas, socorridas nos hospitais do Distrito Federal. Por volta das 23h30 de sábado, o condutor de um Fusca, Geraldo Enéas Mineiro, 38 anos, bêbado segundo a PM, provocou um acidente na tesourinha da Quadra 213/113 Sul. Jorge Cruz Ferreira, 58 anos, que estava em outro veículo, foi o único ferido. Ele foi levado ao Hospital de Base.

A Polícia Militar relata ainda outros casos. Em Taguatinga, um motorista embriagado perdeu o controle do veículo e atingiu um poste. Ele e outras quatro pessoas que estavam no carro ficaram feridas. Em Ceilândia, por volta das 17h de ontem, Edinaldo Batista da Fonseca motorista do Gol, placa JKQ2843-DF, foi preso depois de perder o controle do veículo e bater em dois veículos que estavam na frente de uma casa, na QNQ 2, conjunto 18. Os carros atingidos pertencem a Paulo Rogério da Silva e José de Ribamar Martins. Segundo informações da PM, o motorista teria tentado fugir. Edinaldo foi levado à delegacia e, agora, deve ser submetido à Lei 11.705.

Abordagem também fora de blitz
Um casal foi detido na manhã de sábado, no Park Way, quando voltava de uma festa. A vendedora Isabel Cristina de Oliveira, 26 anos, dirigia um Palio ao lado de seu namorado, o corretor de imóveis Daniel de Sousa Fernandes, 24 anos. Segundo a PM, o automóvel foi abordado porque estava ziguezagueando na pista, na altura de uma floricultura da BR 450, a antiga Epia.
A motorista foi submetida ao teste do bafômetro, que acusou uma quantidade superior a 0,6 ml de álcool por litro de sangue, o que constitui infração gravíssima. Além disso, Isabel não tinha carteira de habilitação e estava sem cinto de segurança. Ela e o namorado foram levados à 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante). Lá, Daniel assinou um termo de compromisso e foi liberado. Isabel, porém, teve de pagar R$ 700 de fiança para ser solta. O carro ficou apreendido e só será liberado após pagamento de multas e quando um motorista habilitado for buscar.

Outros dois motoristas também foram presos por dirigirem bêbados no Cruzeiro, na madrugada de sábado. Rosemberg Leite de Abreu, de 29 anos, e Garibaldi José Cordeiro de Albuquerque, de 56 anos, estavam em carros separados.

Em Brazlândia, a Polícia Militar flagrou um caso parecido, em que um jovem dirigia alcoolizado, também sem habilitação. Fabiano Vieira, 28 anos, não foi detido, mas acabou multado segundo a Lei 11.705.

Rodovias
Neste final de semana foi realizada a primeira blitz nacional de fiscalização com base na “Lei Seca”. No entanto, nas rodovias federais que cortam o Distrito Federal a operação não vingou, segundo informações do presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no DF, Nivaldino Rodrigues. Tudo porque os agentes estão mobilizados em torno da votação da Medida Provisória (MP) 431, que prevê reajustes salariais para 800 mil servidores públicos.