A sinalização rodoviária é constantemente alvo da ação de vândalos. Todos os meses mais de 10 placas sofrem com o roubo ou depredação. Somente este ano, foram substituídas aproximadamente 80 placas de sinalização, o que representa um custo de R$32mil no orçamento. Dentre as ações mais comuns estão as pichações, a utilização das placas como alvo para tiros e como tampa para a boca de fornos utilizados na secagem do fumo, atividade agrícola comum na região. Até mesmo as faixas de segurança, antiga reinvidicação das comunidades, têm sido atingidas.

Um dos lugares afetados por estes atos é o mirante localizado no km 307 da BR 277 onde denúncias efetuadas no ano passado na delegacia da região reduziram os números. Outro trecho muito atingido está entre os Km 293 e Km 298 da BR 277 entre Prudentópolis e Guarapuava.

Segundo o engenheiro Luiz Oswaldo Gapski, “todos os bens adquiridos pela concessionária são da União, ou seja, patrimônio público, e após o término do contrato de concessão serão revertidos ao estado” e complementa, “ao danificar a sinalização, ou qualquer outro item integrante da rodovia, destrói-se o que é de direito do cidadão e principalmente dos usuários de rodovias. Muitas vezes uma placa roubada pode significar a diferença entre a vida e a morte para um usuário da rodovia, que dela depende para sua segurança. Por isto não podemos deixar impunes aquelas pessoas que atentam contra a vida dos outros, algo que lutamos diariamente para preservar”. Agir contra um bem público é crime previsto no código penal. Se a pessoa for pega em ato de vandalismo, ou se for comprovado seu envolvimento, ela pode pegar de seis meses a quatro anos de reclusão.

Prevenindo ações desta natureza a Caminhos do Paraná, responsavelmente denunciará qualquer cidadão pego em ato de vandalismo ou que possua em sua propriedade uma placa de sinalização ou outro item utilizado na rodovia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui