A concessionária de rodovias Autovias S/A e diversas empresas parceiras mostraram técnicas avançadas de pavimentação em rodovias durante o Seminário “O Desempenho de Novas Tecnologias de Pavimentação”, ocorrido na última quinta-feira (04/02) em Ribeirão Preto (SP). O evento foi promovido pela própria concessionária e pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo). O secretário estadual dos Transportes, Dario Rais Lopes, foi representado na abertura pelo diretor de Investimentos da agência, João Carlos Coelho Rocha.

Um dos pontos altos do evento foi a apresentação dos engenheiros Emanuele Cifali, da Cifali/CMI, e Ernesto Simões Preussler, da Dynatest. O tema da palestra deles foi “Desempenho de revestimentos delgados na Via Anhangüera com o Simulador de Tráfego”. Um vídeo sobre o Simulador foi exibido no final do seminário. O Seminário “O Desempenho de Novas Tecnologias de Pavimentação” aconteceu no Auditório da Aeaarp (Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto), situada à rua João Penteado, 2.237.

O Simulador Móvel de Tráfego – A Autovias – em parceria com a Artesp e a Secretaria dos Transportes do Governo do Estado de São Paulo – colocou o Simulador Móvel de Tráfego em funcionamento de dezembro de 2003 a fevereiro deste ano na Rodovia Anhangüera (SP-330). Ele trabalhou, ininterruptamente, atuando em seções de pista recapeadas com tipos distintos de materiais de pavimentação, localizadas entre os quilômetros 291+650m e 292+650m, nas proximidades de Cravinhos (na região de Ribeirão Preto-SP), sentido Capital-Interior.

O simulador permitiu um ensaio pioneiro no setor de rodovias concedidas na América do Sul. O equipamento reproduziu, de forma rápida, o tráfego real futuro da rodovia. Isso permitiu a Autovias e a Artesp conhecerem a durabilidade – ou vida útil – do pavimento em períodos de anos determinados. Os resultados possibilitarão, já em 2004, definir a melhor solução de recapeamento para a Anhangüera em termos de durabilidade, conforto e segurança para os usuários. Assim, haverá minimização de interferências no tráfego, o que causará menos transtornos aos motoristas.

Além disso, os resultados obtidos com o Simulador de Tráfego possibilitarão o desenvolvimento aplicado de novas tecnologias rodoviárias e de materiais alternativos de pavimentação. As seções definidas para os testes eram cada uma 250 metros e receberam diferentes tipos de revestimentos, utilizando ligantes modificados por polímeros, para que seja avaliado o desempenho de cada uma separadamente.

O equipamento foi desenvolvido para simular 10 anos de deterioração do pavimento em um mês. Além disso, permitiu o entendimento dos mecanismos de deterioração causados, em até certo grau, por fatores ambientais. O simulador tem fácil mobilidade e pode ser deslocado entre os locais de teste por meio de reboque. Ele é operado hidraulicamente e os carregamentos podem ser aplicados com roda simples ou dupla, que são movimentadas bidirecional ou unidirecionalmente, quando apropriado. O equipamento aplica cargas entre 30kN e 150kN, em velocidade de 9 km/h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui