Operação feita pelo Policiamento Rodoviário e Polícia Militar abordou 57 automóveis e 29 motocicletas em Bauru

A Polícia Militar (PM) e o Policiamento Rodoviário de Bauru realizaram, das 22h de sexta-feira às 3h de ontem, operação em três acessos rodoviários ao Município com o objetivo de fiscalizar o cumprimento da nova lei que proíbe o consumo de bebida alcoólica antes de dirigir.

A blitz aconteceu na rua das Festas (ao final da avenida Getúlio Vargas), no cruzamento da avenida Nações Unidas com a rodovia Marechal Rondon e no cruzamento da mesma rodovia com a avenida Nuno de Assis.

Nas cinco horas de trabalho, os 14 policiais militares e sete policiais rodoviários abordaram 140 motoristas e passageiros em 57 automóveis e 29 motocicletas. Desse montante, 18 pessoas mostraram sinais de embriaguez e foram submetidas ao teste do bafômetro. Em apenas uma delas, foi constatada a ingestão de álcool. Outro indivíduo não quis assoprar no canudo do equipamento. No distrito policial, o exame constatou que ele não havia ingerido bebida alcoólica.

A pessoa flagrada em estado de embriaguez transitava com seu automóvel pela avenida Nações Unidas. Apresentou 0,56 miligrama de álcool por litro de ar expelido no exame do bafômetro. Além disso, o motorista não possuía a Carteira Nacional de Habilitação e o veículo estava com seu documento vencido.

Segundo o tenente Renato Ramos, comandante da operação e da Base Comunitária Sul, o carro foi recolhido e o motorista, preso. Foi atribuída fiança, mas como ele não tinha dinheiro para pagá-la, continuou detido.

Legislação

A legislação federal, batizada de Tolerância Zero, determina que acima de 0,3 mg/l de álcool no ar expelido (ou 6 dg por litro de sangue) a punição inclui a detenção do motorista (de seis meses a três anos), multa de R$ 955,00 e suspensão por um ano do direito de dirigir. Para esse último caso, basta que o teste do bafômetro detecte a partir de 0,1 mg de álcool por litro de ar (ou 2 dg de álcool por litro de sangue).

Ramos afirma que o objetivo da operação não é multar o motorista, mas educá-lo e conscientizá-lo de que álcool e direção não combinam. Segundo ele, pelo resultado da blitz, foi possível observar que as pessoas estão cumprindo a lei.

“Nas abordagens, assim que os motoristas paravam o carro, comentavam que se tratava do teste do bafômetro”, destacou o militar. “Houve casos em que o condutor não havia ingerido bebida, mas o passageiro sim, e combinado que no outro dia, iriam inverter os papéis”.

Nova operação

Na noite de ontem, estava prevista nova operação em pontos da cidade como avenida Getúlio Vargas, rua Gustavo Maciel, avenida Duque de Caxias, rua Rio Branco, rua Affonso José Aiello, Presidente Kennedy e Almeida Cintra.

Lei Seca

A Lei Seca, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no último dia 19, prevê maior rigor contra o motorista que ingerir bebidas alcoólicas. A legislação passa a considerar crime conduzir veículos com qualquer teor de álcool no organismo.

A punição para quem não cumprir a lei será considerada gravíssima e prevê suspensão da carteira de habilitação por um ano, além de multa de R$ 955 e retenção do veículo. Antes da Lei Seca, somente motoristas com mais de 6 decigramas de álcool por litro (o equivalente a dois chopes) de sangue eram punidos.

A lei também prevê a proibição da venda de bebidas alcoólicas em zonas rurais das rodovias federais. Mantém a liberação para a venda de bebidas alcoólicas nos perímetros urbanos das rodovias federais.

Com a nova lei, o homicídio praticado por motorista deixa de ser culposo e passa a ser doloso (com intenção). A lei retira do Código de Trânsito Brasileiro o agravante para a pena de homicídio culposo (sem intenção de matar) por entender que dirigir sob efeito do álcool é crime.