Dois blocos de granito caíram ontem de um caminhão, por volta das 4 horas, interditando duas pistas da Avenida Desembargador Santos Neves, na Praia do Canto, em Vitória. As pedras foram retiradas quase três horas depois.

O motorista da carreta, Manoel Isgrance, explicou que seguia pela Avenida Nossa Senhora da Penha e perdeu o controle do caminhão ao tentar desviar de um carro que avançou o sinal no cruzamento. As pedras, que não estavam presas, rolaram sobre o asfalto.

Para o presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens (Sindicam-ES), Sebastião Gomes Rodrigues, o motorista do caminhão agiu corretamente e evitou passar por cima do motorista do carro que avançou o sinal.

“é impossível amarrar um bloco daqueles, nem aço segura. Se estivesse preso, poderia deslizar por cima da cabine e matar o motorista”, comentou. Rodrigues também ressaltou a importância de o transporte de cargas pesadas ser feito por motoristas profissionais e que sejam treinados para a função.

Fiscalização

O acidente mostrou, mais uma vez, o problema do transporte de carga pesada em perímetros urbanos, exatamente no primeiro dia de operação do plantão noturno do Departamento de Operações e Fiscalização do Trânsito (DOT) da Capital.

De acordo com o coordenador do DOT, coronel Mário Natali, o caminhão, que vinha do Sul do Estado, estava transitando no local dentro do horário permitido. “No entanto, o motorista, que vinha da Serra, em direção a Viana, deveria ter passado pela Rodovia do Contorno”, afirmou.

Segundo ele, o tráfego de caminhões pesados não pode ser proibido em definitivo, pois a cidade depende do transporte. Natali garante, no entanto, que a fiscalização será intensificada. “Atualmente, os veículos pegos transitando fora do horário determinado, são retidos e obrigados a cumprir o decreto”, destacou.

O coordenador do DOT explicou ainda que, com o plantão noturno, a prefeitura pretende atender, além de casos como esse, quedas de barreiras e derramamentos de materiais na pista, entre outros acidentes.

“Atuamos em conjunto com o Corpo de Bombeiros, a Polícia Rodoviária e a Defesa Civil para atender aos casos em horários em que os agentes de trânsito não trabalham”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui