O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai antecipar em dois meses, de outubro para agosto, a divulgação dos resultados dos estudos técnicos sobre o traçado preliminar do trem de alta velocidade (TAV) que vai ligar Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, com cerca de 550 quilômetros de extensão. A divulgação do traçado vai orientar os estudos das empresas interessadas no leilão de concessão previsto para acontecer em fevereiro, especialmente na definição de custo do trem rápido brasileiro. O trajeto define quanto de túneis e viadutos serão necessários.

A informação, do vice-presidente do banco, Armando Mariante, e do diretor da área de infra-estrutura, Wagner Bittencourt, foi divulgada na segunda-feira durante visita da delegação do governo japonês chefiada pela vice-ministra da Infra-Estrutura, Transporte e Turismo, Midori Matsushima. Os japoneses anunciaram que querem participar do processo de licitação do trem para disputar desde a concessão do serviço até o fornecimento de materiais.

O BNDES está coordenando os estudos que vem sendo realizados por um consórcio integrado pela empresa Halcrow Group, da Inglaterra, e pelas companhias brasileiras Balman Consultores Associados e Sinergia Estudos e Projetos. O processo de licitação em que o consórcio foi selecionado foi realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O banco informou que a proposta é que o trajeto contemple ligações do trem com os aeroportos internacionais do Rio (Antonio Carlos Jobim), de São Paulo (Cumbica) e Campinas (Viracopos), além de pelo menos duas paradas intermediárias, entre São José dos Campos (SP) e a região de Volta Redonda (RJ).