Pacote de R$ 258 milhões prevê a restauração de 754 quilômetros de rodovias federais do Ceará. A ação foi apresentada ontem, na sede regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). As obras devem ser concluídas em um ano

Depois de tantos estragos causados pelas fortes chuvas e pelo descaso dos últimos anos, a situação das estradas no Ceará poderá mudar. Um pacote de R$ 258 milhões apresentado ontem pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) prevê a restauração de 754 quilômetros das rodovias federais do Ceará. Conforme Guedes Neto, superintendente regional do Dnit, os editais de licitação devem ser abertos até o início de junho e as obras começam em seguida, tendo de ser concluídas no prazo de um ano.

Segundo Guedes Neto, o objetivo é evitar que haja na próxima quadra chuvosa o mesmo problema que aconteceu nas estradas com as chuvas deste ano. “Como o dinheiro já está em caixa, não deverá haver atrasos e, provavelmente, as obras devem acabar antes de começarem as próximas chuvas, em menos de um ano”, garantiu o superintendente.

Dois trechos na BR-116 (quilômetro 0 ao 12, em Fortaleza, e quilômetro 272 ao 314, até Pereiro) e um trecho na BR-020 (quilômetro 207 ao 303, de Canindé a Boa Viagem) devem começar logo que as chuvas deste ano terminem. Esse total de 150 quilômetros já foi garantido em um pacote licitado no início deste mês, que custou R$ 79,8 milhões. As obras previstas para os trechos do pacote apresentado ontem contemplam quase toda a extensão das BRs 020, 116, 222 e 304. “É um pacote inédito em termos de valores e de quilômetros”, ressaltou Guedes Neto. Ele explica que, dos 3 mil quilômetros de rodovias federais sob responsabilidade do Dnit, 904 estão inclusos na restauração.

Apesar do pacote, a parte mais crítica das BRs do Estado ainda deve demorar mais alguns meses até ser recuperada. O projeto de restauração do trecho da BR-222 que vai de Croatá até Sobral ainda está em fase final de aprovação. De acordo com Guedes Neto, o edital só será lançado em setembro e as obras devem ter início em outubro.

A recuperação será dividida em três partes. No total, serão disponibilizados R$ 2,3 milhões. No projeto, a conhecida “curva da morte”, onde já houve vários acidentes, deverá ser alterada. “Uma pedra será derrubada”. Uma vantagem, segundo Guedes Neto, é que as empresas que vencerem as licitações serão responsáveis pela manutenção por dois anos após a conclusão das obras. “Isso vai fazer com que elas tenham mais responsabilidade e mais cuidado na execução”.

E-MAIS

>Conforme Guedes Neto, os prazos apresentados são estimativas. “Estamos contando que todos os processos de licitações sejam feitos tranquilamente, sem processos judiciais. Se tudo correr bem, os prazos serão cumpridos”.

>Em junho de 2008, Guedes Neto já havia anunciado ao O POVO a restauração dos quilômetros 418 ao 546 (de Ipaumirim até a divisa do Ceará com Pernambuco) da BR-116. Pelo projeto, seria substituída a pavimentação e algumas curvas seriam retiradas. A licitação deveria ter sido aberta em julho, no valor de R$ 120 milhões. As obras deveriam ter começado em novembro e durar um ano.

>No mesmo conjunto de ações, em junho de 2008, estavam previstas as recuperações dos trechos do quilômetro 0 ao 12 e do quilômetro 272 ao 314. Essas áreas serão recuperadas agora, logo que as chuvas terminarem.