Em Canoas, estacionamento de parque fica lotado aos domingos. Em Gravataí, jovens se reúnem a dois quilômetros de posto da polícia.

Em três cidades do Rio Grande do Sul, jovens se arriscam em motociclistas. Na região metropolitana de Porto Alegre, eles promovem rachas e se envolvem em manobras arriscadas. No interior, os motociclistas também colocam em risco a vida de pedestres.

O estacionamento de um parque em Canoas, onde é realizado o carnaval da cidade, vira pista de corrida aos domingos.

É possível encontrar jovens deitados em motos em movimento; um deles não usa capacete. A equipe de reportagem da RBS TV não encontrou policiais fiscalizando a área.

Já em Gravataí, dezenas de jovens se reúnem para acompanhar manobras perigosas, também sem a presença de policiais. A avenida fica atrás de uma praça de pedágio e a dois quilômetros de um posto da Polícia Rodoviária Federal. Em plena via pública, jovens promovem corridas, dirigem acima da velocidade permitida e empinam a moto.

Em Santa Rosa, no interior do estado, um motoqueiro entrou na contramão na BR-472. Depois, faz contorno em um trevo, entra na RS-344 e volta a andar na contramão, colocando em risco também a vida de pedestres.