O trecho do km 459 da rodovia Cândido Portinari que ficou famoso pelo apelido de “Curva da Morte”, foi palco de mais um sério acidente de trânsito na manhã de ontem. Um caminhão carregado de telhas que estava descendo a serra de Rifaina se descontrolou e capotou. O motorista ficou presos às ferragens, mas, por sorte, não sofreu ferimentos graves. Segundo os bombeiros, uma tragédia poderia ter acontecido no local.
O acidente envolveu um caminhão Mercedes Benz de cor vermelha, que estava levando um carregamento de telhas de Tambaú (SP) para Rifaina. Por volta das 8h e por motivos ignorados, o motorista José Luiz Amorim, 34, perdeu o controle sobre o veículo, que veio a capotar. O condutor ficou preso na cabine e, após o socorro, foram constatadas múltiplas lesões. Outras duas pessoas que o acompanhavam sofreram ferimentos leves.
Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros seguiram para o local e tiveram muito trabalho para resgatar a vítima. Não foi possível retirar o motorista das ferragens sem as manobras de corte e abertura de ferragens do pesado veículo. Segundo o tenente Wellington, que comandou os trabalhos, apesar de o condutor não ter sofrido lesões mais graves, a situação geral do acidente é preocupante. “Havia vazamento de combustível e de óleo pelo local. O motorista ficou de ponta-cabeça, com as pernas presas na barra de direção do veículo. Esses fatores contribuíram para dificultar os trabalhos”.
A sorte dos três ocupantes foi que, após o capotamento, o caminhão não caiu na ribanceira, ficando na pista. Durante os trabalhos de socorro, parte da rodovia foi interditada para o tráfego de veículos. Duas viaturas da Polícia Rodoviária ajudaram a controlar o trânsito para evitar que os transtornos pudessem causar outros acidentes. Um guincho particular também ajudou na remoção do caminhão.
O motorista foi socorrido à Santa Casa e liberado após ser medicado. As outras duas pessoas que estavam no caminhão com ele não precisaram de atendimento. Mais de 70 pessoas já morreram na “Curva da Morte”. O acidente mais grave foi registrado há dois anos, quando um ônibus com estudantes da Unifran perdeu o controle, matando 20 alunos. Apesar das promessas de melhoria, o governo ainda não liberou verbas para desviar a curva. Apenas serviços de sinalização foram feitos no local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui