Nem mesmo a equipe do cantor Daniel, que se apresenta na noite desta quinta-feira, em Vitória, escapou da proibição do tráfego de caminhões na Terceira Ponte. Na manhã desta quinta, a reportagem da CBN/Gazeta On Line flagrou o caminhão que trazia equipamentos para o show do artista sendo barrado na Praça do Pedágio, no sentido Vila Velha/Vitória.

Segundo funcionários da Rodosol – concessionária responsável pela manutenção e fiscalização da ponte – o motorista não percebeu a placa que restringe a passagem desses veículos, localizada no início da via, no sentido Vila Velha.

O condutor preferiu retornar e passar pela Segunda Ponte a pagar uma multa no valor de R$ 127,00. Se ele insistisse em atravessar a praça, o caminhão seria apreendido.

Segundo a assessora de comunicação da Rodosol, Maria do Carmo Calmon, todos os caminhões estão proibidos de passarem pela via, sendo de artistas ou não. “Não existem privilégios. O Dertes já proibiu a passagem de caminhões na Terceira Ponte. Isso vem sendo cumprido rigorosamente”, explica.

Quanto ao episódio, a assessora aponta a falta de atenção dos condutores como um dos fatores que contribuem para que caminhões eventualmente circulem na via e sejam surpreendidos com a proibição. “O que acontece é que os motoristas, de modo geral, não têm o hábito de ler placas de sinalização, placas de advertência e, infelizmente, até os acidentes acontecem por isso. As multas também ocorrem pela falta de atenção porque as pessoas não olham a velocidade da placa que é permitida naquele trecho. Daí, elas ultrapassam e depois reclamam porque foram multadas, porque sofrem acidentes e provocam acidentes”, diz.

O decreto proibindo a passagem de caminhões na via foi assinado pelo governador Paulo Hartung e, desde o dia 5 de janeiro, o tráfego está impedido. A decisão foi tomada devido a um grave acidente ocorrido na Terceira Ponte, em 12 de dezembro do ano passado. Um caminhão carregado com 30 toneladas de brita perdeu o freio e desceu desgovernado, provocando a morte de três pessoas: dois funcionários das cabines de pedágio e um motociclista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui