Motorista foi indiciado por homicídio culposo
A carreta que provocou um acidente com seis mortos e 11 feridos, na tarde de quarta-feira, na região de Guarapuava, estava trafegando a 125 quilômetros por hora. A velocidade, acima do limite permitido naquele trecho da BR-277 (80 Km/hora), foi registrado pelo tacógrafo do caminhão. Edmilson Maciel Borba, motorista da carreta, foi indiciado por homicídio culposo. Ele ainda não foi preso porque está internado para uma cirurgia.

Em depoimento à Polícia Civil de Guarapuava, Edmilson disse que o acidente não foi provocado pelo excesso de velocidade. Segundo ele, o caminhão estava com problema no sistema de freios. O motorista também falou que não irá assumir a responsabilidade sozinho, porque o proprietário da carreta estaria ciente de que os freios tinham problemas.

De acordo com o delegado Sérgio Luiz Barroso, a perícia feita no local e no caminhão deve apontar que seria possível freiar. “Se ele sabia que tinha problemas nos freios, trafegando ou não em alta velocidade, ele estava assumindo o risco”, disse Barroso.

Os corpos que na noite quarta-feira ainda não haviam sido identificados eram de Alcira Bogado, 59 anos, Eliziane Terezinha Areco, 30 anos, e seu filho Kevin, sete anos. Ao contrário do que havia informado a Concessionária Rodovia das Cataratas, o prefeito de Boa Esperança do Iguaçu, Antônio Udceski, não estava entre os feridos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui