Suspeito atira veículo na água e escapa de escolta que seguia para a delegacia; Corregedoria investiga suposta falha

Uma pessoa morreu ontem em Jacareí após uma carreta roubada, carregada de minério de ferro, despencar da ponte Nossa Senhora do Rosário, sobre o rio Paraíba do Sul, no centro de Jacareí. O veículo era conduzido por um dos suspeitos detidos pelo roubo, Nilton dos Santos Pereira, 29 anos, que teria atirado o veículo no rio e escapado nadando.

A vítima fatal é o instrutor de tiros Rogério Martinez Carvalho, 32 anos, que morreu afogado, preso às ferragens. Carvalho era primo do delegado seccional de Jacareí, Fábio de Carvalho Joaquim, e proprietário de uma empresa especializada em treinamento tático para policiais.

Segundo o comando da Polícia Civil no Vale, ele estaria de carona na carreta, onde também estaria o policial civil Rodnei Cardoso do Valle, que, segundo a polícia, fazia a escolta do suspeito e teria pulado do cabine antes da queda no rio. Ele teria sofrido apenas ferimentos leves no braço.

O acidente aconteceu no percurso entre o 2º Distrito Policial e a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), onde seria registrada a ocorrência do roubo da carreta, ocorrido em Três Rios (RJ) na noite de anteontem.

Até as 19h de ontem, o suspeito não havia sido localizado e a polícia acredita que ele tenha fugido nadando. Além dele, também foi detido Adriano Tadeu de Lima, 25 anos, que seria comparsa de Pereira.

O CASO – De acordo com a Polícia Civil, o caminhão Mercedez-Bens, placas JLY-1901, de Curvelo (MG), foi roubado em Três Rios (RJ) por dois assaltantes que estavam em um Kadett.

Minutos depois, por volta das 23h, uma empresa de segurança que monitorava o veículo via satélite comunicou o roubo às autoridades policiais do Vale do Paraíba, região para onde se dirigiam os bandidos.

Durante a madrugada, equipes da Polícia Civil montaram cercos em três pontos diferentes da antiga rodovia Rio-São Paulo (em Caçapava, São José e Jacareí) para tentar interceptar os veículos.

No entanto, os ladrões –um dirigindo o Kadett e o outro, o caminhão– contrariaram a previsão da polícia e seguiram rumo à São Paulo pela via Dutra.

Por volta das 7h de ontem, cinco homens da Polícia Rodoviária Federal conseguiram deter os assaltantes no km 173 da Dutra em Jacareí. Os acusados e os veículos foram encaminhados pelos policiais ao 2º DP (Distrito Policial).

Ao chegar na delegacia, os policiais rodoviários teriam sido informados de que a ocorrência deveria ser registrada na DIG (Delegacia de Investigações Gerais), no bairro Parque Itamarati, na região central.

Antes que os investigadores saíssem em comboio, no entanto, o instrutor de tiros Rogério Martinez Carvalho teria pedido uma “carona”, pois estaria seguindo para a mesma delegacia.

Além da carreta, participavam ainda do comboio o Kadett dos assaltantes, conduzido por um policial rodoviário, e uma viatura da DIG.

A Corregedoria Regional da Polícia Civil e o Deinter (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) deverão apurar o caso a partir da próxima semana. A Ouvidoria das Polícias questiona o motivo pelo qual o suspeito dirigia o produto do roubo e o fato de uma pessoa de fora da polícia estar junto no comboio (leia textos nesta página).

REMOÇÃO – O acidente levou uma multidão de mais de 1.000 pessoas para as margens do rio Paraíba. O trabalho de resgate do corpo levou mais de duas horas. Pelo menos 10 bombeiros trabalharam na remoção do corpo.

À tarde, a carreta foi removida do rio. O valor da carga e o nome da empresa proprietária do material não foram revelados pela polícia.

Apesar do impacto que provocou a abertura de um vão de 6 metros na grade de ponte, o tráfego de veículos foi liberado às 12h após laudo da Defesa Civil que descartou danos na estrutura da obra.

A queda da carreta chocou testemunhas que passavam pelo local no momento do acidente.

“A carreta caiu de frente. Com a batida na água, a carga caiu em cima. Vi o desespero dos policiais gritando, foi horrível. Nunca esquecerei este dia”, disse a ajudante de cozinha A.C.D.A.M, 30 anos, moradora da avenida Mississipi, às margens do rio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui