O caminhoneiro Douglas Baptista, 52 anos, confessou nesta quarta-feira ter assassinado um menino e sete meninas, entre 5 e 12 anos, em municípios da Baixada Santista (litoral de São Paulo). Os crimes, realizados entre 1992 e 2003, tinham sempre as mesmas características: as vítimas, ainda com vida, eram amarradas e atiradas em rios.

Baptista está preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Vicente, município também localizado no litoral paulista. Ele foi detido no dia 29 de dezembro do ano passado, depois que os corpos de Najila de Jesus e Nathaly Jennifer Ribeiro, ambas de cinco anos, foram encontrados no rio Aguapeú, na cidade de Itanhaém.

Depois de uma série de investigações, fotos das meninas foram encontradas na residência do caminhoneiro. De acordo com o próprio criminoso, ele raptou as crianças para pressionar a mãe de uma delas, que lhe devia dinheiro.

Após assumir a autoria do assassinato das duas crianças, Baptista acabou confessando os demais crimes. Ele revelou que conhecia não só as vítimas, mas também seus pais e familiares. No entanto, ele não soube explicar a motivação das execuções.

As investigações, comandadas por oficiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), vão se intensificar a partir de agora em cidades do Sul do Brasil, local onde o criminoso morou durante alguns anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui