O movimento de cargas fracionadas (industrial) fechou o mês de janeiro com crescimento acumulado de 10,75% nos últimos 12 meses. É o que aponta levantamento do Decope / NTC&Logística (Departamento de Custos Operacionais e de Pesquisas Econômicas). Em relação a dezembro, no entanto, praticamente todos os indicadores do segmento em janeiro são negativos. As exceções foram faturamento por despacho (cresceu 4,21%) e peso por despacho (aumento de 10,88).

As maiores retrações em janeiro em relação a dezembro ocorreram no número de despacho (21,22%), despachos por funcionário (20,96%), faturamento (20,33%), tonelagem média transportadora (12,65%), peso expedido por funcionário (12,36%). As menores ficaram com mão-de-obra utilizada (0,33%) e faturamento por tonelada (4,08%).

Em sentido inverso, praticamente todos os indicadores dos últimos 12 meses são positivos, ficando como exceção apenas o despacho por funcionário, que apresentou uma queda de 1,64%. Além da tonelagem média movimentada, os maiores índices de crescimento nesse período correspondem ao faturamento por despacho (21,8%), faturamento (11,06%), peso por despacho (10,12%), faturamento por tonelada (8,33%) e peso expedido por funcionário (8,32%). Os menores ficaram com utilização de mão-de-obra (2,25%) e número de despachos (0,58%).

Desde o início da pesquisa em maio de 2002, o segmento acumula uma queda de 14,08% na movimentação. Outros indicadores mostram que ele experimentou retração nos despachos por funcionário (23,78%), no número de despacho (23,54%), no peso expedido por funcionário (14,34%), no faturamento (14,39%) e faturamento por tonelada (4,08%). O faturamento por despacho, o peso por despacho e o número de funcionários estiveram em alta no período – apresentaram crescimento de 32,38%, 18,85% e 0,31%, respectivamente.

Lotação

Com exceção da tonelagem por funcionário e do faturamento por tonelada, que apresentaram crescimento de 2,12% e 3,28%, respectiviamente, os demais indicadores sofreram queda em janeiro em relação ao mês anterior. Na comparação dos dois períodos, a tonelagem movimentada caiu 0,63%, o número de funcionário decresceu 2,59% e o faturamento por funcionário ficou 3,58% menor. Em relação a janeiro do ano passado, parte dos indicadores é animadora: tonelagem média movimentada 3,37% maior; crescimento no número de funcionários (3,43%), no faturamento por tonelada (3,23%), no faturamento por funcionário (2,25%).

O crescimento verificado nos indicadores de faturamento, no entanto, ficaram abaixo do aumento de custos nas operações do segmento no mesmo período, estimado em 12,39%. Segundo o levantamento, houve redução na tonelagem por funcionário (8,04%) e no faturamento (5,88%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui