A solenidade na qual Anderson Adauto transmitiu a Alfredo Nascimento o cargo de Ministro dos Transportes reuniu mais de 600 pessoas no auditório do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit).

Dentre autoridades federais e estaduais, participaram da cerimônia o ministro de Aqüicultura e Pesca, José Fristch, os governadores do Acre, Jorge Viana e do Mato Grosso, Blairo Maggi.

O dever cumprido

Em seu discurso, o ex-ministro Anderson Adauto explicou que sai do Ministério com o sentimento do dever cumprido. “Cabia-me apenas agir com correção e com transparência. E hoje posso dizer que cumpri as instruções recebidas do Presidente e do Vice-Presidente da República”, afirmou Adauto.

O ex-ministro disse que, entre as suas principais vitórias frente ao Ministério dos Transportes está a redução dos custos. “Conseguimos reduzir em 25%, em média, os custos dos serviços licitados entre agosto do ano passado e fevereiro deste ano”, contou.

Sobre as ações do Ministério dos Transportes durante o ano que passou, Adauto falou principalmente sobre o projeto de concessões de rodovias, que inova ao atender o investidor sem perder o foco no usuário. O novo modelo de concessões de linhas de ônibus interestaduais de passageiros e o Programa de Balanças, em fase de licitação, também foram lembrados como avanços.

O ex-ministro dos Transportes disse ainda que dos recursos disponíveis em 2003, 99% foram empenhados, segundo dados do SIAFI. De acordo com Adauto, os investimentos foram feitos principalmente na recuperação de rodovias e em obras inacabadas.

Anderson Adauto agradeceu ainda os funcionários do Ministério dos Transportes. “São trabalhadores dedicados, que se empenham em bem cumprir as suas tarefas, com o empenho do Patriotismo”, disse.

Um tarefa para muitos

Ao receber o cargo, o ministro Alfredo Nascimento disse que cuidar da pasta dos Transportes “não é tarefa de um homem só”. Mencionou que tem conhecimento das inúmeras dificuldades que encontrará pela frente, principalmente diante das “impossibilidades financeiras do Ministério” e das demandas acumuladas durante longos anos.

Disse que traz na bagagem a experiência adquirida em 22 anos de vida pública, sempre em cargos executivos. Experiência que quer somar ao esforço de funcionários da casa, de parlamentares, do governo federal e da iniciativa privada para solucionar os grandes problemas da infra-estrutura viária do país.

Nascimento salientou os esforços feitos e os avanços conquistados pelo seu antecessor. Garantiu que centralizará todos os seus esforços pessoais para continuar progredindo conforme a determinação do Governo Lula.”O Ministério dos Transportes é muito maior do que eu, mas Deus vai alargar meu conhecimento e aumentar minha capacidade para que possamos, juntos, resolver os problemas existentes”, disse Alfredo Nascimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui