Ivo Borges de Lima poderá ser o mais novo diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A indicação encaminhada pela Presidência da República do assistente social e pós-graduado em comunicação social foi aprovada nesta quinta-feira (7) pela Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) e segue agora para análise do Plenário.

O presidente da Comissão, Fernando Collor (PTB-AL), disse que o indicado, “apesar do extenso currículo”, não tem larga experiência na área de transportes. Ivo Borges citou o trabalho como chefe do setor administrativo da Rodoviária de Brasília, como credencial para o cargo na agência responsável pela regulação e fiscalização dos serviços de transportes terrestres. O currículo de Ivo Borges já havia sido analisado em sessão secreta da CI em 23 de abril.

Atualmente, Ivo Borges exerce o cargo de assessor técnico do gabinete do senador Gim Argello (PTB-DF). Em 2006, foi secretário de Trabalho do Distrito Federal e durante os 50 anos em que atuou no serviço público, exerceu vários cargos em conselhos e órgãos colegiados.

Em sua exposição, lembrou que o transporte público hoje “é uma das partes mais sensíveis e tensas nas relações entre governo e sociedade” devido ao grande número de pessoas que depende desse tipo de serviço.

– A ANTT desempenha papel de suma importância na formulação, regulação e fiscalização dos modais terrestres de transporte – afirmou o candidato ao cargo de diretor da Agência.

Após a exposição, vários senadores sabatinaram o candidato e fizeram considerações a respeito do importante papel da ANTT. Gilberto Goellner (DEM-MT) ressaltou a utilização do biodiesel para reduzir o custo do transporte de carga e de passageiros. Delcídio Amaral (PT-MS) questionou o candidato a respeito da possibilidade de transformação das ferrovias no principal meio de transporte brasileiro.