Seis pessoas ficaram feridas, uma em estado grave, depois que o caminhão muck de placa JNI-3192 desceu desgovernado a Ladeira do Acupe e atingiu a picape S-10 de placa JNI-8266 e o Fiat Uno táxi de placa JQS-5860. O acidente aconteceu no início da tarde de ontem, quando os veículos passavam na Avenida Vasco da Gama, sentido Dique do Tororó. Roqueval José dos Santos, 44 anos, que viajava na carroceira do caminhão, foi projetado no asfalto e sofreu traumatismo craniano. Ele foi socorrido ao setor de emergência do Hospital Geral do Estado (HGE) e, até o final da noite de ontem, encontrava-se em estado grave, segundo boletim médico.

Por uma questão de tempo, o acidente não resultou em conseqüências ainda maiores. Tanto a picape quanto o táxi tinham acabado de cruzar uma sinaleira, localizada defronte à Ladeira do Acupe, quando os demais veículos que vinham atrás pararam no sinal vermelho. Com ferimentos leves, o motorista do caminhão, João Brito de Santana, 55, foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e levado ao HGE, juntamente com o amigo Roqueval.

De acordo com Santana, os freios do veículo, comprado há cerca de dois meses, não funcionaram. Ele disse ainda que, para não atingir um abrigo de ônibus, desviou para pista, mas não teve como impedir o abalroamento com a picape e o táxi, por volta das 14h. A causa do acidente será conhecida após conclusão do laudo do Departamento de Polícia Técnica (DTE), que deve ser divulgado em 30 dias.

Para o pensionista Mário Bonfim Góes, 59, condutor da picape, “estar vivo só pode ter sido obra divina”, emociona-se. Ele e o amigo, que tiveram escoriações, seguiam para o Comércio quando a S-10 foi atingida. “Quando percebi, o carro estava virado de lado”, contou ao exibir um pequeno corte no braço direito. Já o taxista Antônio Fernando, 64, sofreu ferimentos leves, mas passou mal ao olhar para trás e ver a passageira, cujo dados não foram informados, imprensada nas ferragens do veículo totalmente destruído. Ele e a cliente, que sofreu arranhões, foram levados por uma equipe da Samu ao 5º Centro de Saúde, nos Barris.

Desespero – Informada por vizinhos, momentos depois, a dona de casa Edite Mamédia dos Santos Fernando, 60, mulher do taxista Antônio, que mora próxima à Avenida Vasco da Gama, chegou ao local do acidente. Ao ver o que restou do táxi, ela ficou desesperada, imaginando que o marido tivesse morrido. Edite custou a acreditar que Fernando estivesse vivo. Nem policiais militares e agentes da Superintendência de Engenharia e Tráfego (SET) conseguiram convencê-la do contrário, exceto o cunhado Emanoel Nascimento Soares, que chegou em tempo de ver o irmão sendo socorrido.

Menos aflita, a dona de casa desabafou: “Foram as mãos de Deus que salvaram todos eles. Quando meu marido saiu de casa, senti um aperto no coração e intensifiquei minhas orações”, completou. O filho do motorista do caminhão também chegou ao local, mas, sucinto, informou que o pai passava bem.

Com o acidente, agentes da SET interditaram uma das duas faixas da avenida, o que deixou o transito lento. Os três veículos envolvidos no acidente só foram removidos depois das 16h.