Uma colisão entre um Chevette e um caminhão no quilômetro 20 da BR-116, no Município de Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza) causou a morte de quatro pessoas
Uma colisão entre um Chevette e um caminhão no quilômetro 20 da BR-116, no Município de Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza) causou a morte de quatro pessoas – entre elas uma criança de dois anos e meio – no final da tarde do último sábado. O caminhão Mercedes de placa HTY-4258-CE, carregado de galinhas, trafegava em direção a Horizonte, e o Chevette de placa HTY-8427-CE, transitava no sentido contrário, em direção a Fortaleza. Segundo o relato de testemunhas, na curva do quilômetro 20 o caminhão passou para a contramão e bateu de frente com o Chevette, onde estavam quatro pessoas. BÊBADO – “O motorista do caminhão estava totalmente embriagado, ele se apavorou quando viu as pessoas ensangüentadas dentro do Chevette. Enquanto fomos ajudar a socorrer os feridos ele correu, pegou uma carona na estrada e fugiu”, contou Raimundo Morais de Sousa, morador da localidade de Riachão, onde ocorreu o acidente. Estavam no Chevette o motorista Glaucon Coelho Gurgel, 21 anos, estudante; Antônio de Oliveira Lima, de 52 anos; Luciede Alves Pires, de 31 anos, com a irmã, Lívia Kélsia Sobreira Pires, de 15 anos; e o filho de Luciede, Alexander Pires da Silva, de dois anos e meio. MORTOS – Antônio, Luciede e a criança morreram na hora. Lívia Kélsia e Glaucon foram socorridos para a unidade central do Instituto José Frota (IJF) em estado grave. Glaucon morreu ali e Lívia Kélsia permanece internada. Ontem de manhã, o namorado de Luciede – e pai de Alexander -, Maurício Silva, esteve no Instituto Médico Legal (IML) para providenciar a retirada dos corpos. Segundo ele, Luciede voltava com a irmã, o filho e o amigo Antônio de um sítio em Horizonte quando a colisão aconteceu. O irmão de Luciede, Francisco Franciclei Alves Pires, também estava no IML. “Agora estamos preocupados com a Lívia, que está consciente mas está bastante ferida e terá de passar por uma intervenção cirúrgica. Queremos entender o que realmente aconteceu na cabeça desse motorista do caminhão para que ele causasse um desastre desse tamanho e ainda por cima fugisse”, ressaltou. Segundo moradores da área, os acidentes ali são constantes. “Muitos motoristas sabem que esta é uma área perigosa. A estrada é estreita e está com muitos buracos. Mesmo assim, se arriscam a fazer ultrapassagens. Esperamos que com a duplicação da estrada estes fatos deixem de acontecer. Foi muito triste o que aconteceu, contou um morador. Peritos do Instituto de Criminalística estiveram no local do desastre e fizeram os primeiros levantamentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui