Um grave acidente envolvendo um microônibus da Empresa Nossa Senhora da Conceição e um de transporte alternativo deixou 26 feridos, às 8 horas de ontem, no cruzamento das ruas Presidente Mascarenhas e Paiatis, nas Quintas. Para atender às múltiplas vítimas, o Serviço de Atendimento Fixo de Urgências (Safu) e o Serviço de Atendimento Médico às Urgências (Samu) acionaram, pela primeira vez no ano em Natal, o “código vermelho”, que mobiliza todos o sistema de urgência e emergência da rede privada e pública de saúde. Do total de vítimas, quatro foram atendidas em estado grave.

Segundo testemunhas, o microônibus da empresa Conceição (que faz a linha 22, ligando Felipe Camarão às Rocas) trafegava pela Rua do Paiatis quando o alternativo (linha 313, ligando Santa Cecília, na Zona Norte, ao Alecrim) cruzou em sua frente. O alternativo trafegava pela avenida Presidente Mascarenhas e não parou para dar a preferência.

A colisão foi inevitável e violenta. O microônibus da Conceição atingiu o meio do alternativo, fazendo com que o veículo girasse 90º. Não houve vítimas graves no veículo da Conceição, apenas três pessoas se feriram de forma leve. Mas no alternativo, que estava com todos os assentos ocupados, 23 pessoas ficaram feridas. Com a batida, os passageiros – que não dispunham de cintos de segurança – foram jogados uns sobre os outros. Duas cadeiras se soltaram do assoalho, aumentando as lesões.

Um dos passageiros que vinha no fundo do alternativo foi jogado contra o vidro traseiro, que se quebrou. A vítima ficou com o corpo dependurado, perdendo sangue pelo nariz e boca.

As ambulâncias com as equipes de resgate chegaram rapidamente ao local. A primeira equipe do Samu na área do acidente fez uma triagem separando por cores os feridos leves e graves. Em seguida, vieram equipes do SOS Unimed, Corpo de Bombeiros, PM e Hospital de Guarnição. O atendimento no local contou ainda com a ajuda de populares, que auxiliaram a carregar as macas para retirar as pessoas do veículo.

O local foi isolado pela STTU e Polícia Rodoviária com fitas demarcando o perímetro de trabalho dos socorristas. O resgate foi acompanhado por uma multidão aflita. Os bombeiros tiveram que usar um desencarcerador – espécie de tesoura hidráulica específica para cortar metal – para soltar uma das vítimas presa às ferragens.

Os feridos foram retirados pelas janelas dos microônibus e, depois, acomodados nas ambulâncias. Como o acidente deixou muitas vítimas, um esquema especial foi montado para evitar o colapso no atendimento no Pronto Socorro Clóvis Sarinho. Algumas vítimas foram levadas para outros hospitais, inclusive particulares. Fiscais da STTU liberaram o trânsito para as ambulâncias no trajeto aos hospitais.

Os quatro feridos mais graves foram encaminhados ao Walfredo Gurgel. Eles não tiveram as identidades reveladas. As lesões detectadas foram de contusões torácicas e de abdômen e fraturas. Uma das vítimas estava com hemorragia interna.

Dezoito equipes mobilizadas

Ao todo, foram mobilizados 10 viaturas do Samu Natal, duas do SOS Unimed, duas do Samu Metropolitano, uma do Corpo de Bombeiros, uma do Hospital de Guarnição, além de duas da PM – sendo que estas três últimas não chegaram a socorrer vítimas.

Para evitar a sobrecarga no Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, a coordenação dividiu o atendimento para outros hospitais. O Walfredo Gurgel atendeu 14 vítimas. Duas foram levadas para o Deoclécio Marques, uma para o Hospital Santa Catarina, duas para o Hospital do Coração, duas para o Papi, e mais duas para a Casa de Saúde São Lucas.

Por volta das 18h, sete vítimas já haviam sido liberadas do Walfredo Gurgel e outras sete continuavam em observação. As mais graves, eram duas mulheres: uma de cinqüenta anos que precisou passar por uma laparotomia (incisão no abdômen), e uma outra de oitenta com uma lesão em um dos punhos.

A vítima levada para o Santa Catarina foi uma mulher, que reclamava de dores na cabeça. Ela passou por uma radiografia e nenhum problema foi constatado. Por isso, ela foi liberada. Liberadas foram também mais duas mulheres, estas, enviadas para o Hospital do Coração. As duas também passaram por radiografias, e uma delas precisou de uma pequena sutura.

Para a Casa de Saúde São Lucas foram mandados dois homens. Um foi liberado ainda pela manhã, mas o outro, identificado como Silvio Suenio Ribeiro Dantas, um jovem de 19 anos, permanecia na noite de ontem na Unidade de Terapia Intensiva. O estado de saúde dele era considerado regular . No Papi, duas mulheres também foram atendidas, medicadas e liberadas. Entre elas, estava uma gestante. Ela passou por exames e o médicos chegaram à conclusão de que mãe e filho estavam bem. Com isso, a gestante também foi liberada. A TRIBUNA DO NORTE não conseguiu informações sobre as vítimas levadas para o hospital Deoclécio Marques, localizado no município de Parnamirim.

Passageira conta como aconteceu

Josélia Amaral, 24 anos, estava no alternativo onde 23 pessoas ficaram feridas. Ela contou que por volta das 8 horas, o veículo cruzou a avenida Paiatis quando foi atingido no meio pelo microônibus da Conceição. “Foi tudo muito rápido. Eu vi o microônibus vindo em nossa direção e depois viemos parar aqui. Foi uma coisa horrível”, lembrou.

Ela conta que o alternativo estava com os assentos lotados e que após a colisão ficou atordoada. Ao olhar ao seu redor, viu pessoas sangrando no rosto e ouviu gritos de socorro e desespero. Uma hora depois do acidente, ainda demonstrando muita aflição, a jovem agradeceu a Deus por não ter sofrido algo pior.