O anúncio foi feito na terça-feira (09), pelo secretário executivo de Transportes, Pedro Abílio, a um grupo de dez líderes comunitários de Outeiro, recebidos por ele em seu gabinete no prédio da Setran. Eles buscavam explicações sobre as obras iniciadas logo após o acidente que atingiu o pilar central na madrugada do dia 06 de fevereiro.

Pelo cronograma da Setran as obras deveriam ser entregues no próximo dia 30, “porém solicitamos aos técnicos da empresa que ampliem o turno de trabalho. Se preciso for, eles vão trabalhar durante a noite para entregar a obra antes”. Entretanto, Pedro Abílio chamou a atenção para a complexidade do trabalho, executado sete metros abaixo da água. “É preciso muito cuidado e imprevistos podem acontecer”, disse ele.

No documento apresentado ao secretário, os líderes comunitários solicitaram ainda a construção de dois abrigos ao longo da estrada que dá acesso ao Distrito do Outeiro. “Por se tratar de uma estrada municipal, a construção desses abrigos é responsabilidade da Prefeitura de Belém, porém vamos solicitar à empresa que executa as obras para viabilizar a construção de dois abrigos provisórios para atender à população”, disse o titular da Setran.

Os líderes comunitários alegaram ainda que o acidente causou prejuízos aos comerciantes do distrito e pediram indenização. Pedro Abílio argumentou que o Estado não está obrigado a fazer esse ressarcimento, “já que o acidente foi causado por uma empresa privada”.

Acidente – A ponte de Outeiro foi interditada no início do mês de fevereiro quando o pilar central foi atingido pela balsa Lady Monalisa, de propriedade da empresa Rio Matapi. Um dia após o acidente a Secretaria Executiva de Transportes deu início às obras de recuperação, cujo cronograma deveria ser cumprido dia 30 deste mês. Desde o dia 17 de fevereiro o tráfego de veículos leves, de até duas toneladas, com velocidade máxima de 30 quilômetros por hora, está liberado na ponte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui