Pré-candidato à prefeitura de Rondonópolis, o deputado federal Welinton Fagundes (PL) classificou de “armação” a reunião liderada pelo suplente de deputado federal Helmute Lawisch (PFL), realizada na semana passada no Palácio Paiaguás. Acompanhado de dezenas de prefeitos das regiões Médio Norte e Norte, o suplente fez uma série de críticas à administração do PT e do PL em função das condições de trafegabilidade da BR 163.

Helmute ainda reclamou da ausência de parlamentares federais. No encontro o deputado liberal foi acusado, também por outros participantes, de interferir no processo de distribuição de verbas federais em favor das prefeituras conduzidas pelo PL.

“Tem pessoas que não conseguem ganhar eleição e quer se projetar nas costas do povo, como o suplente de deputado Helmute”, classificou Fagundes.

O próprio governador Blairo Maggi também informou, na oportunidade, que iria conversar com Fagundes com relação aos convênios firmados com prefeituras. Maggi disse que havia conversado com os ministros Antonio Palloci e José Dirceu para liberar R$ 27 milhões para investimentos nas rodovias federais. No entanto, o governo Federal não pagou sequer os investimentos da administração estadual nas rodovias federais, no valor de R$ 7,8 milhões.

Ontem, Fagundes se reuniu com o governador. O liberal estava acompanhado de Cinésio Nunes, coordenador da 11ª Unit, em Mato Grosso. Munido de documentos, do órgão federal, o parlamentar apontou que os poucos recursos que estão sendo liberados para prefeituras neste momento são oriundos de uma emenda da bancada federal referente a legislatura passada.

Fagundes afirmou ainda que não só as prefeituras comandadas por liberais assinaram os convênios. Além de Barra do Garças e Primavera do Leste, nas quais os prefeitos são filiados ao PL, os convênios se estenderam ainda para os municípios de Sapezal, Rondonópolis, Pontal do Araguaia e Jaciara, ambas têm à frente prefeitos do PPS.

No caso específico de Rondonópolis, Fagundes explicou que os recursos destinados para o trevo na cidade são de um convênio desde o ano de 1995. Para Primavera do Leste, o convênio foi firmado há mais de quatro anos, conforme o parlamentar.

Após fazer um relato das prefeituras contempladas com convênios do governo federal para travessias e adequação urbanas nos municípios relacionados pelo próprio parlamentar, Fagundes se considerou injustiçado com as críticas.

Segundo ele, a convocação para participar da reunião na sexta-feira passada no gabinete do governador só chegou até ele um dia antes, impossibilitando sua presença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui