O Consórcio Terminal Rodoviário de Campo Grande, composto pelas empresas Socicam Administração, Projetos e Representações Ltda e Equipav S/A – Pavimentação, Engenharia e Comércio obteve a maior pontuação na licitação para a construção da nova rodoviária de Campo Grande alcançando o total de 92.21 pontos. O segundo lugar ficou com o Consórcio Tricon Araguaia Engenharia, composto pelas empresas Tricon (Triângulo Concessões S/A) e Araguaia Engenharia Ltda, que atingiu 53,73 pontos. A abertura das propostas de preço foi feita na tarde desta quarta-feira (18.06) na Central de Compras e Licitação da Prefeitura , sendo a licitação final homologada horas depois pelo prefeito Nelson Trad Filho que considerou esse um momento histórico para Campo Grande.

“Esta é uma obra esperada há muitos anos pelo campo-grandense. Deixaremos de ser criticados pela existência da atual rodoviária para termos um terminal rodoviário modelo que, futuramente, poderá ser copiado por outras cidades”, disse o prefeito Nelsinho Trad durante a assinatura de homologação do processo final de licitação. Segundo o prefeito até o dia 30 de junho deverá ser assinada a ordem de serviço que será feita em solenidade aberta para a população e autoridades.

O terreno para a construção da rodoviária localizado na saída para São Paulo tem cerca de 10 hectares e foi adquirido pelo município por meio de decisão judicial por R$ 1,8 milhão. O consórcio vencedor deve começar as obras a partir de julho após a assinatura da ordem de serviço. A obra da nova rodoviária, estimada em R$ 9,5 milhões deverá ser concluída até agosto do próximo ano. O consórcio terá o prazo de 12 meses para executar as obras do terminal e poderá fazer a exploração comercial do espaço pelo período de 30 anos, sendo responsável pela manutenção e conservação do prédio.

De acordo com o presidente da Comissão Especial de Licitação, Bertholdo Figueiró, o consórcio vencedor atingiu pontuação superior tanto na habilitação técnica quanto na proposta do valor do faturamento bruto mensal de 2.10% que será destinado à Prefeitura de Campo Grande.

Projeto moderno e funcional
O projeto do novo terminal, concebido pela arquiteta Zuleide Higa, prevê uma edificação com tempo operacional para 50 anos. Em formado de um leque, a nova estação rodoviária de Campo Grande terá aproximadamente 6 mil metros quadrados de área construída, com áreas de embarque e desembarque climatizadas e compostas por 20 plataformas, sendo quatro cobertas e 300 vagas no estacionamento.

Os ônibus de passageiros terão acesso exclusivo até as plataformas, assim como os táxis e mototáxis terão área exclusiva para operacionalizar, com acesso a sanitários. Serão criadas plataformas específicas para a chegada e saída dos passageiros, onde os táxis e mototáxis poderão embarcar e desembarcar os usuários. Os automóveis também terão duas áreas para estacionamento e uma plataforma específica para embarque e desembarque de passageiros. O projeto prevê também um setor específico para a comercialização de passagens e funcionamento comercial. Foram projetados módulos comerciais que funcionarão no sistema de um mini-shopping. Na parte da frente da nova rodoviária será edificado um terminal de integração de transporte coletivo urbano, com capacidade para três ônibus articulados.