O número de linhas de ônibus em Curitiba mantém-se o mesmo desde 1996, apesar de a população ter tido um crescimento de aproximadamente 160 mil pessoas no período – hoje, a capital tem cerca de 1,6 milhão de habitantes. Segundo a prefeitura, há 285 itinerários na cidade e não há previsão para a ampliação do sistema. Eventuais solicitações da população estão sendo atendidas com pequenos ajustes nas linhas existentes. A prefeitura nega que a interrupção na criação de linhas tenha relação com a liminar da Justiça que exige licitação para o aumento nos serviços.

Em julho de 2001, a Promotoria de Proteção ao Patrimônio do Ministério Público entrou com uma ação civil pública contra a prefeitura que exigia a realização de concorrência pública para a contratação de empresas de ônibus para operar novas linhas na capital. Uma liminar foi concedida, na época, pelo então juiz da 1.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, Salvatore Astuti. O processo está sendo analisado pelo atual juiz da vara, Alexandre Fabiano, mas ainda não há previsão para o seu julgamento.

A assessoria de imprensa da prefeitura informa que a ampliação das linhas foi interrompida em 1996, muito antes da liminar, pois todo o espaço territorial da capital já havia sido coberto. Desde então, a prioridade foi a criação de itinerários para a região metropolitana, dentro da Rede Integrada de Transporte (RIT). A liminar de 2001 não afeta a criação de linhas para as cidades vizinhas à capital, pois a ação proposta pelo Ministério Público abrange apenas o território de Curitiba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui