O aumento considerável no consumo de alimentos no mundo pode fazer com que o governo acelere as obras para viabilizar com maior agilidade o escoamento da soja, milho, arroz, algodão produzidos em Mato Grosso, para os mercados externos. O Ministério da Agricultura reforçou hoje a cobrança feita pelo setor produtivo e político do Estado para que seja pavimentada o quanto antes a BR-163, do Nortão a Santarém (PA), onde está o porto. “Parte dos problemas da agricultura está fora da agricultura”, afirmou o secretário de Política Agrícola, Edilson Guimarães, ao avaliar a necessidade da pavimentação da 163 e a recuperação de outras rodovias em Mato Grosso. Recentemente, conforme Só Notícias antecipou, foram divulgados editais para serem pavimentados, em 2 anos, 290 km ( dos 1.024 existentes) entre o Nortão e Santarém, onde devem ser investidos R$ 345 milhões.

Ele afirmou à Agência Estado que o mundo está “comendo mais do que produzindo” e que o Brasil deve aproveitar “aproveitar uma janela de oportunidade”. Porém, Guimarães destaca que, além de linhas de créditos para ampliar a produção, é preciso que as estradas estejam em boas condições para os alimentos serem transportados. A Conab prevê que a produção agrícola brasileira de 2009 deve crescer 5% em relação a colheita deste ano – cuja previsão é de 143 milhões de toneladas.

Mato Grosso, campeão brasileiro em produção de soja e gado, tem diversas rodovias que precisam ser recuperadas. O ministério cobra prioridade para a BR-158, que precisa de pavimentação entre o município de Ribeirão Cascalheira e a divisa do Estado com o Pará. Outra prioridade é a construção e pavimentação da BR 364 entre Diamantino e Campo Novo do Parecis – que tem conclusão prevista para o quarto trimestre de 2010.

Outra obra prioritária é a construção da rodovia para a interligação entre Ribeirão Cascalheira e Sorriso (campeão brasileiro em produção de soja).