A Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas percorreu, nesta terça-feira (9/3/2004), os 64 km da MG-010 que ligam a Serra do Cipó ao município de Conceição do Mato Dentro, na região Central do Estado. O trecho foi construído no início do governo Itamar Franco, mas as obras foram paralisadas em 2002. Conforme constataram os deputados Célio Moreira (PL), presidente da comissão, e Laudelino Augusto (PL), autor do requerimento pela atividade, os 50 km iniciais já estão danificados em vários pontos, enquanto o restante da estrada, ainda não pavimentado, está tomado por buracos e lama.

A construção dos 64 km da MG-010 foi objeto de convênio firmado entre a Comig (Companhia Mineradora de Minas Gerais) e o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), que recebeu da primeira recursos da ordem de R$ 25 milhões para elaborar o projeto e executar a obra. “Vamos pedir ao DER informações sobre o convênio e o porquê da paralisação da obra”, afirmou o deputado Célio Moreira. Ele informou que a comissão vai elaborar um relatório técnico sobre a situação da estrada e encaminhá-lo ao governo estadual e ao DER, cobrando providências. “O trecho já deveria ter ficado pronto há muito tempo”, completou.

“Essa obra financiada pela Comig é mais um lamentável exemplo de mau uso do dinheiro público. A estrada está em condições precárias”, analisou o deputado Laudelino Augusto. De acordo com ele, a comissão recebeu outras denúncias de obras inacabadas que precisam ser investigadas a fundo, até mesmo pelo aspecto preventivo. “Outras 224 cidades mineiras ainda não possuem pavimentação asfáltica. As novas obras devem ser bem feitas e com otimização de recursos”, enfatizou.

Parque natural é ameaçado

“Há trechos que estavam com a base pronta, mas, com a chuva, tudo foi destruído. É um prejuízo que vai se acumulando”, alertou o prefeito de Conceição do Mato Dentro, José Fernando Aparecido de Oliveira. Segundo ele, a paralisação das obras da MG-010, que não tiveram contrapartida da prefeitura, está prejudicando não só aquele município, como também toda a região do Médio Espinhaço, Bacia do Suaçuí e Alto Jequitinhonha. “Todas as saídas de Conceição de Mato Dentro são de terra. Estamos ilhados”, reclama. Além disso, as erosões e o assoreamento provocado pela estrada inacabada estão deteriorando o meio ambiente da região, cercada por um parque natural que tem a flora mais variada do planeta.

Problema inusitado – Os transtornos causados pelas obras da MG-010 atingem também quem tem que passar pela rodovia. A assistente social Vitória de Matos, por exemplo, foi recentemente obrigada a passar a noite no ônibus que a levava de Belo Horizonte para a cidade de Morro do Pilar, nas proximidades de Conceição do Mato Dentro. “O ônibus ficou atolado e os passageiros só conseguiram sair depois da baldeação de outro ônibus, horas depois”, disse, observando a van que conduzia a equipe da Assembléia, que, curiosamente, também precisou contar com a ajuda de outro veículo para prosseguir a viagem.

Presenças – Participaram da visita os deputados Célio Moreira (PL), presidente da comissão; e Laudelino Augusto (PT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui