Com a chegada da primavera/verão o Departamento de Estradas de Rodagem retoma obras e intensifica conservação nas rodovias estaduais

“Foi um período longo de chuva que prejudicou os serviços de melhoramentos na malha viária estadual e comprometeu o inicio de algumas obras”, disse o diretor-presidente do DER, Ronaldo Lopes,. Segundo ele, a partir de agora, com o início da temporada primavera/ verão, todos os serviços que estavam programados com os recursos oriundos da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), -imposto que incide sobre a venda de combustíveis, começam a serem retomados.

Algumas obras já estão em fase final de execução a exemplo da restauração de 6 km da rodovia Al-145, no trecho entre o povoado de Maria Bode (em Delmiro Gouveia) até a BR-316. Outro trecho, cujas obras já foram licitadas e estão sendo iniciadas é na rodovia Al-215, entre Anadia e Boca da Mata, com extensão de 16 km.

O diretor-presidente do DER disse também que estão sendo iniciadas obras de restauração do acesso aos municípios de Teotônio Vilela (2,17 km) e o acesso à cidade de São José da Lage (3 km). Outras obras que serão retomadas nos próximos dias são os dois trevos de acesso à cidade de Murici.

Norte – Na semana passada a gerência regional do DER em Matriz do Camaragibe, região Norte do Estado, deu início a uma operação de tapa-buraco na Al-105, entre Matriz do Camaragibe e Porto Calvo. A próxima etapa será de São Luiz do Quitunde até Matriz do Camaragibe. Segundo o engenheiro do DER, Vicente de Paula, os trabalhos vão prosseguir de Japaratinga (AL-101) até a divisa com o estado vizinho de Pernambuco.

O Diretor-presidente do DER avaliou que os estragos em alguns trechos da rodovia estadual, que já estão com a vida útil comprometida, ficaram bem mais problemáticos durante o inverno, e que vem trabalhando junto ao Governo do Estado para alavancar recursos para os projetos de recuperação. “Alguns trechos da malha necessitam mais do que serviços de tapa-buraco, precisando de uma solução definitiva de engenharia e que exige aporte de recursos e máquinas, como é o caso da rodovia AL- 430, ente Flexeiras e São Luiz do Quitunde”.