Um trabalho envolvendo policiais civis e militares de Cafezal do Sul, Iporã e de Alto Piquiri, culminou na noite de anteontem, na descoberta de um cemitério de automóveis. Diversas carcaças foram localizadas em dois pontos de um canavial, que provavelmente foram abandonadas após os veículos terem sido desmanchados.

A operação policial foi comandada pelo delegado José Carlos Guglielmetti, que responde pelas delegacias de Iporã, Alto Piquiri, Brasilândia do Sul, Cafezal do Sul e Francisco Alves e também pelo cabo Glicério, comandante do destacamento da Polícia Militar de Cafezal do Sul.

Conforme os policiais, Glicério foi comunicado a respeito da localização do cemitério de carcaças na noite de anteontem, quando saiu com sua equipe em busca do exato ponto de localização, que ficava em meio a um canavial pertencente a uma usina de Alto Piquiri.

No primeiro ponto, localizado em uma estrada vicinal à margem direita da rodovia PR 486, entre o entroncamento com a rodovia PR 323 e Alto Piquiri. Em meio á plantação de cana, foram localizadas carcaças de pelo menos cinco caminhonetes de diversos modelos.

No outro ponto, que fica do outro lado da referida rodovia, outra carcaça também foi localizada.

Pelo menos seis veículos desmanchados tiveram algumas de suas peças, principalmente da lataria abandonadas naqueles locais.

Conforme Guglielmetti, as carcaças foram deixadas no canavial há pelo menos 48 horas.

“Para que esse tipo de ação obtenha êxito, os criminosos agem em bando, com batedores e pelo menos um caminhão pequeno para levar as carcaças até o local da ‘desova’”, citou.

Foram localizadas partes de latarias de cabines, carrocerias inteiras de caminhonetes F-1000 e provavelmente uma que fazia parte de uma S-10.

Ainda de acordo com o delegado, os criminosos furtam os veículos, escondem e os desmancham, separando peças boas e a parte nobre da caminhonete. “As peças que não foram abandonadas no ‘cemitério’ provavelmente são usadas no comércio ilegal, além de que em alguns casos, os criminosos usam chassis de veículos ‘quentes’ (regulares) e remontam as peças sobre eles. Conseqüentemente os veículos passam a circular normalmente pelas ruas, podendo ser até comercializados”, comentou.

De onde são as caminhonetes?

Conforme José Carlos Guglielmetti, as peças (carcaças) dos veículos foram recolhidos ao pátio da Delegacia de Polícia de Cafezal do Sul, posteriormente sendo encaminhados ao Instituto de Criminalística de Umuarama, onde passarão por uma vistoria. Após essa análise, algumas dessas peças poderão ser eventualmente identificadas, com a intenção de se descobrir de onde são esses veículos, para que seja seguido o ‘fio da meada’ das investigações.

Ainda conforme o delegado, as características das carcaças dos veículos localizadas, não ‘batem’ com as de veículos furtados e roubados na região de Iporã, sub-entendendo-se então que os veículos podem ter sido trazidos de outras cidades da região, onde foram desmontados e posteriormente suas carcaças foram abandonadas em meio ao canavial.

Caminhonetes recuperadas

O delegado lembrou da ação policial que culminou na recuperação de duas caminhonetes nas proximidades da cidade de Moreira Sales há alguns dias. Naquela ocasião um desses veículos, que foi furtado na cidade de Cafelândia (região oeste do Estado), contava com um sinalizador monitorado via satélite e, através do sinal emitido, foi possível que a empresa responsável pelo rastreamento pudesse localizar o paradeiro da mesma. Ainda na ocasião do furto desse veículo, o proprietário do mesmo pôde notar que uma caminhonete S-10 estaria sendo usada como batedor da furtada. Como resultado das buscas, foram localizadas pela Polícia Civil de Umuarama as duas caminhonetes, que estavam em uma propriedade rural de Moreira Sales, sendo que uma delas, furtada em Cafelândia e outra em Maria Helena. Esses veículos, possivelmente teriam sido deixados naquele local para serem encaminhados a um desmanche clandestino e, apesar das caminhonetes terem sido recuperadas, essa situação também poderá ser investigada, tendo em vista a localização do cemitério de carcaças em Cafezal do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui