Mototaxistas do Pará, por meio da Assembléia Legislativa do Estado, ingressam hoje com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando a decisão deste tribunal, que no dia 2 deste mês, proibiu a prestação do serviço de mototáxi no Estado, ao considerar irregular a lei estadual que regulamenta a atividade. A informação foi dada ontem por Raimundo Nonato Silva, presidente da Federação dos Mototaxistas do Pará. Segundo ele, como a ação de inconstitucionalidade movida pela Confederação Nacional de Transporte (CNT) foi apresentada nessa instância da Justiça Federal, cabe recurso ao STF, o que será providenciado pela categoria hoje, último dia do prazo para pedido de revisão da decisão judicial.

Ontem, os mototaxistas tiveram uma reunião com a diretora-geral Rosymary Goes e com técnicos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Pará. Raimundo Nonato informou que, como resultado da reunião, o Detran vai providenciar um cadastramento dos mototaxistas no Estado.

Também será feito pelo órgão estadual um levantamento da quantidade real de acidentes provocados pelos condutores de mototáxis em território paraense, de vez que os mototaxistas são apontados como causadores de colisões e outros tipos de anormalidades nas vias e rodovias. Com o cadastro dos nomes, placas e registros da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dos condutores, será possível obter uma estatística real.