A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, chega hoje a Rio Grande para acompanhar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no batizado da plataforma oceânica P-53. Mas antes mesmo de chegar ao Município, ela solicitou ao Departamento Nacional de Infra-estrutura Terrestre (Dnit) agilidade na conclusão de dois projetos aos lotes 1 e 4 da obra de duplicação da BR-392, estrada que liga Rio Grande a Pelotas, para que comece em 2009.

Segundo o engenheiro do Dnit de Pelotas, Vladimir Casa, a intenção do governo federal é de que os dois lotes ainda não-licitados estejam com seus projetos concluídos até o final deste ano. Declara que a própria ministra pediu agilidade no processo, devido à importância da obra para a consolidação do porto rio-grandino. Isso porque boa parte da produção gaúcha é escoada pelo porto, através da rodovia federal.

Em entrevista a uma rádio do Estado ontem, Dilma Rousseff falou que a obra deverá ser concluída em 2011. “O Dnit recebeu apenas o posicionamento oficial da Casa Civil quanto à necessidade de concluir os projetos referentes ao primeiro e ao último lotes, que ainda precisam ser licitados. Do total, apenas o 2 e o 3 já dispõem de contrato assinado com as construtoras. A ministra Dilma Rousseff pediu que os projetos ainda pendentes sejam feitos o mais rápido possível para que toda a obra tenha início no começo de 2009”, explica.

A obra de duplicação da BR-392 foi dividida em quatro lotes: o primeiro consiste da revitalização da via no entorno de Pelotas; o segundo situa-se entre a ponte sobre o canal São Gonçalo até o Km 36; o terceiro do Km 36 até o Km 8,8 (trevo de acesso ao Tecon) e o último lote deste trecho até a Honório Bicalho.