As obras na Curva da Santa, situada no quilômetro 671 da BR-376, entre Garuva e Curitiba, não tiveram início terça-feira conforme havia sido informado pelo Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) na semana passada.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, que é responsável pelas rodovias federais, o atraso aconteceu porque houve a necessidade de um tempo maior para a conclusão dos levantamentos e dos cálculos que definirão a exata quatidade de massa que deverá ser colocada na pista para corrigir um problema de superelevação (inclinação que ajuda o carro a fazer a curva).

O Dnit garante que hoje as obras começam a ser feitas, mas não pela correção do problema de superelevação. De início, deve ser feita a limpeza do trecho onde serão realizados os trabalhos e amanhã deve ser iniciada a reconstrução da mureta de proteção. Os serviços para correção da superelevação também começam nesta semana, mas sem data definida. Já o reforço na sinalização só será feito ao final dos trabalhos.

As obras neste trecho da rodovia são consideradas urgentes pela alta concentração de acidentes no quilômetro 671. Somente nos primeiros 63 dias do ano, a Polícia Rodoviária Federal atendeu 69 acidentes no local, que deixaram pelo menos dez feridos graves. A maioria dos acidentes foi de batidas laterais, sendo que em alguns casos os carros despencaram de um barranco (com cerca de 30 metros) que fica ao lado da rodovia.

A reconstrução da mureta deve evitar acidentes com quedas de veículos. O Dnit irá construir uma barreira diferente da que existe atualmente no local. Para tornar o muro mais resistente a impactos, será feita uma base (fundação) com cerca de 40 centímetros e a mureta terá outros 80 centímetros. Em função das obras, a partir de amanhã, uma das três faixas da BR-376 (sentido Garuva–Curitiba) deve ficar fechada para o tráfego de veículos e por isso os motoristas devem redobrar os cuidados. Essa situação deve persistir pelos próximos dez dias, período em que o Dnit pretende construir a mureta, fazer a correção da superelevação da pista e melhorar a sinalização. O cronograma de obras está condicionado ao tempo, pois se chover os trabalhos serão interrompidos.

O Dnit também recomenda mais atenção dos motoristas nas proximidades do quilômetro 669 da rodovia (sentido Curitiba–Garuva). Neste trecho fica a ponte sobre o Rio São João, que está tendo uma laje refeita e as demais (nove) reforçadas. A estrutura do viaduto sofreu um deslocamento (cerca de cinco centímetros), no fim do ano passado, o que provocou o aparecimento de uma fenda na pista. Para corrigir este problema, duas das três faixas de pista foram bloqueadas no quilômetro 669. As obras na ponte sobre o Rio São João foram iniciadas ontem e devem durar dois meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui