Superintendente interino confirma que foi notificado pela PRF sobre falta se sinalização da rodovia

O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) confirmou o recebimento de um comunicado da Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre a falta de sinalização no trecho onde ocorreu o acidente entre um microônibus e um caminhão na rodovia Santa Vitória do Palmar-Rio Grande (BR-471). Em entrevista à Rádio Gaúcha, entretanto, nesta manhã, o superintendente do Dnit, engenheiro Vladimir Roberto Casa, descartou que a falta de sinalização tenha influenciado na colisão frontal.

O engenheiro explica que a obra é feita em duas etapas e que não tem como efetuar trabalhos de recapeamento sem prejuízo imediato à sinalização horizontal.

— Se não fizermos isso teremos prejuízo com a pintura que não terá a reflexividade necessária durante a noite. Recebemos o alerta mas não há saída. O que se pode fazer e o que se fez é uma sinalização de placas alertando os motoristas para a existência das obras.

Vladimir lembrou ainda que a tragédia ocorreu no amanhecer, em uma reta e numa pista plana. Na quinta-feira, o inspetor da PRF, Alessandro Castro, em entrevista à Rádio Gaúcha, havia comentado sobre o envio do comunicado sobre a falta de sinalização na pista ao DNIT.

O acidente

Um caminhão que transportava toras de madeira e um microônibus da Secretaria Municipal de Saúde de Santa Vitória do Palmar colidiram frontalmente, pouco antes das 6h da quinta-feira, no km 470,9 da BR-471, em Rio Grande, no sul do Estado. Pelo menos sete pessoas morreram e 19 ficaram feridas.

No caminhão, de Rio Grande, que seguia em direção a Santa Vitória do Palmar, estavam o motorista e uma passageira. Ambos foram encaminhados em estado grave para o hospital Santa Casa do Rio Grande. No microônibus, além do condutor, viajavam 23 pacientes, conforme a secretária municipal de Saúde de Santa Vitória, Vera Regina Martins Netto:

— Como a cidade não tem capacidade para tratamentos de alta e média complexidade, como quimioterapia, ressonância magnética, hemodiálise e tomografia, costumamos levar os pacientes para Pelotas ou Rio Grande.

A cena da tragédia

Às 10h10min, o trânsito estava em meia pista nos dois sentidos no local da colisão. O caminhão e o microônibus ainda estavam na pista, mas já havia um guincho para removê-los. Todos os feridos haviam sido levados para hospitais da região. Os corpos das vítimas seguiam no asfalto, sob cobertores, aguardando remoção. Perto das 11h, os dois veículos foram retirados do local.