Carreteiros estariam envolvidos no esquema; empresário de São Paulo, suspeito de chefiar o grupo, conseguiu fugir

Policiais do Núcleo de Roubos e Furtos de Carga (Barra Mansa) e da 99 Delegacia Legal (Itatiaia) retornam, na madrugada de hoje, de São Paulo com 26 toneladas de perfis e trefilados de aço nobre e dois caminhoneiros envolvidos no roubo do material, ocorrido quinta-feira, na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Penedo. A carga, avaliada em R$ 50 mil, foi localizada na madrugada de ontem, em dois grandes galpões da Windnox, Indústria e Comércio, na Penha, e no Parque Novo Mundo, na zona oeste de São Paulo. Os galpões foram interditados, sob suspeita de que outros produtos encontrados no local sejam também roubados.

O empresário paulista Régis Antônio Tricidi, suspeito de ser o chefe da quadrilha, foi alertado por telefone pela mulher dele, no sábado, e fugiu. Ele chegou a conversar com o delegado Wagner Seixas, titular da delegacia de Itatiaia, que chefiou uma equipe de oito policiais fluminenses, na busca e apreensão do roubo em São Paulo.

– Falamos com Régis pelo celular. Ele disse que só se entregará quando tiver com a defesa dele pronta. Régis é um empresário poderoso, de acordo com fotos de fazendas e de uma mansão dele, em Guarujá – disse Wagner Seixas.

A quadrilha começou a ser desmantelada sexta-feira, quando o caminhoneiro Robson Luiz Marques foi preso, ao registrar uma queixa na 99 DP Legal de que havia sido assaltado na altura do Km 309 da Rodovia Presidente Dutra, em Itatiaia. Ao constatar que o mesmo motorista havia registrado outra queixa de roubo, em janeiro, nas mesmas circunstâncias, ele acabou confessando a farsa.

As 26 toneladas de aço, pertencente à Belgo Mineira, vinha de Viena (ES) com destino a São Paulo. No entanto, a carreta foi passada a David Figadoli, seguiu até o depósito do empresário, em São Paulo, e devolveu o veículo vazio a Robson Luiz, em Itatiaia, que depois tentou registrar a queixa de roubo da carreta na delegacia local, segundo a polícia. A carreta foi deixada pelo comparsa numa estrada que liga a Via Dutra a Penedo.

OUTROS ROUBOS – De acordo com o diretor do Núcleo de Roubo e Furto de Carga, José Arza Ferreira, que atuou inicialmente no caso e encarregou o delegado Wagner Seixas de apurá-lo, ele já tem provas de mais quatro outros roubos de carga na Rodovia Presidente Dutra, praticados nos últimos cinco meses pela mesma quadrilha.

– Estamos apurando outros possíveis roubos desta quadrilha, que tem conexões no Espírito Santo, São Paulo e Minas. Pegamos o fio da meada e vamos até o fim neste caso. Para isso, o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, instalou o Núcleo de Roubo e Furto de Carga, que já fez esse trabalho e que ainda nem foi inaugurado – disse Arza.

Hoje, às 10 horas, os delegados José Arza Ferreira e Wagner Seixas vão apresentar os dois caminhoneiros presos, a carreta apreendida e o aço roubado à imprensa. Empresários vítimas de roubos de carga nas rodovias Presidente Dutra e Lúcio Meira também foram convidados para fazer o reconhecimento da dupla.

Carreteiros são enquadrados em formação de quadrilha

Os carreteiros Robson Luiz Marques e David Figadoli, que serão apresentados hoje à imprensa, na 99 Delegacia Legal (Itatiaia), além do empresário paulista suspeito de chefiar o esquema de roubo de carga, foram enquadrados ontem pelo delegado Wagner Seixas em formação de quadrilha, roubo de carga e falso aviso de roubo. Eles foram levados a São Paulo para mostrar os galpões para onde levavam as cargas que roubavam nas estradas.

– O empresário Régis Antônio Tricidi dava golpe nos próprios clientes. Ele entrava em contato com as empresas no Rio, São Paulo e Espírito Santo para comprar aço, encomendava o transporte da carga a uma transportadora, mas apresentava os motoristas de suas carretas para fazer a viagem. Depois os motoristas simulavam o roubo – disse Seixas.

As transportadoras ficavam com o prejuízo, porque não seguravam a carga por causa dos altos preços cobrados pelas seguradoras. Cada caminhoneiro ganhava R$ 4 mil por viagem. No roubo descoberto sexta-feira, a carga tinha sido entregue ao carreteiro pela transportadora Gold Transportes, contratada da Belgo Mineira. A mesma transportadora tinha sido lesada pela mesma quadrilha, em janeiro deste ano. Os outros roubos foram registrados em São Paulo e Minas Gerais, a partir de novembro de 2003. A carreta está apreendida na 99 Delegacia Legal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui