No último dia 18 de setembro, o 1º Agrupamento de Engenharia do Exército Brasileiro apresentou, no Centro de Convenções de Pernambuco, durante o 13º Encontro Nacional de Conservação Rodoviária (ENACOR), a obra de Duplicação da BR-101 Nordeste, executada em pavimento de concreto. O Exército é responsável pela construção de três lotes da rodovia, que correspondem aos Estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba.

O engenheiro responsável pela duplicação da BR 101, Sálvio Santos, explicou a decisão do governo em utilizar o 1º Agrupamento de engenharia do Exército Brasileiro na realização da obra. “No ano de 2005, o governo federal esteve diante de um impasse administrativo para iniciar a obra de duplicação da BR 101, na época foi lançado edital com o objetivo de contratar empresas para três lotes: 1, 5 e 6. Porém, por processos administrativos, essa obra ficou parada, sem nem poder formalizar a lavratura do contrato, por causa de embargos de recursos feitos por licitantes da concorrente. Como o governo já havia disponibilizado recurso do orçamento da união, e precisava tocar a obra, a licitação foi anulada, ocorrendo assim à contratação do exército para dar início a construção dos três lotes”, disse ele.


As obras de duplicação da BR 101 nordeste, bem como a restauração da antiga pista fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O lote 1, localizado no Estado do Rio Grande do Norte, é composto por 46,2 quilômetros, tendo 47% dessa pista já concluída. O 5 é o que está mais adiantado até agora, localizado na Paraíba, possui 54,9 quilômetros e 52% da obra concluída. Já o lote 6, em Pernambuco, tem 41, 4 quilômetros de rodovia e 37% concluídos.