A duplicação de um trecho da BR 262, incluindo a Segunda Ponte, que liga Vitória a Cariacica, foi incluída nas obras do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. A garantia foi dada nesta quarta-feira (27) pelo senador Renato Casagrande (PSB). A proposta, pleiteada pela bancada capixaba em Brasília, já está no projeto de orçamento que será votado pelo Congresso Nacional até o fim do ano, informou.

De acordo com o senador, se a proposta for aprovada os recursos para a duplicação do trecho que vai do Km 0 até a divisa do Espírito Santo com Minas Gerais estarão garantidos, já que as obras do PAC são prioritárias. “A proposta (de inclusão no PAC) – foi aprovada pelo Governo e a gente pode ter certeza que será aprovada (pelo Congresso)”, afirma o senador. “A decisão de incluir no PAC não depende do orçamento, mas tem que ter a rubrica incluída no orçamento para que a obra receba dotações orçamentárias e crédito extraordinário, mas a obra já está marcada no projeto do Governo Federal como obra do PAC”, explica.

Uma verba de ao menos R$ 20 milhões já estaria liberada de acordo com a proposta. Mas o custo total das obras de duplicação pode chegar a R$ 200 milhões. A licitação para a obra pode sair em 2009. Um projeto de execução – que compreende o Km 0 até a localidade de Vitor Hugo, na região serrana do Espírito Santo – já foi elaborado, ainda em 2006, pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit).

Se obtida licença ambiental e se o projeto não sofrer alterações, as obras também poderão começar no ano que vem. Posteriormente, Casagrande avalia que mais trechos da BR possam ser duplicados.
A prioridade para o trecho se deve à “importância da região serrana do estado”, ainda de acordo com o senador. O turismo, a produção de hortifrutigrangeiros e a ligação que a BR promove com Minas Gerais foram alguns dos fatores que tornaram a duplicação uma das propostas priorizadas pela bancada capixaba. Os quilômetros que estão incluídos no projeto também são os de maior fluxo de veículos da rodovia. A proposta orçamentária, assim que votada pelo Congresso deve ainda ser sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.